A oração eficaz

” … mas Elias subiu ao cume do Carmelo, e se inclinou por terra, e pôs o seu rosto entre os seus joelhos.” (I Reis 18:42b)

A oração é o meio de comunicação do crente com Deus, e essa comunicação não está restrita apenas ao âmbito espiritual, abrange toas as esferas da vida do crente, tais como: vida física, espiritual, sentimental, social, emocional, cultural, religiosa, financeira, etc., etc. 

O termo orar na Bíblia, também é descrito como:
– Invocar a Deus – “Eu te invoquei, ó Deus, pois me queres ouvir; inclina para mim os teus ouvidos, e escuta as minhas palavras”. (Sl 17:6)
– Invocar o nome do Senhor – “E a Sete também nasceu um filho; e chamou o seu nome Enos; então se começou a invocar o nome do SENHOR”. (Gn 4:26)
– Clamar ao Senhor – “Com a minha voz clamei ao SENHOR, e ouviu-me desde o seu santo monte”. (Sl 3:4)
– Levantar nossa alma ao Senhor – “A ti, SENHOR, levanto a minha alma”. (Sl 25:1)
– Buscar ao Senhor – “Buscai ao SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto”. (Is 55:6)
– Aproximar-se do trono da graça com confiança – “Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno”. (Hb 4:16)
– Chegar perto de Deus – “Cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé, tendo os corações purificados da má consciência, e o corpo lavado com água limpa”. (Hb 10:22)

A Bíblia nos apresenta motivos claros para orarmos constantemente ao Senhor. O primeiro e principal motivo, é:
– Deus ordena que oremos, e essa ordem vem através dos profetas “Porque assim diz o SENHOR à casa de Israel: Buscai-me, e vivei”. (Am 5:4); vem através dos salmistas “Buscai ao SENHOR e a sua força; buscai a sua face continuamente”. (Sl 105:4); vem através dos apóstolos “Orai sem cessar”. (I Ts 5:17) e através do próprio Jesus “E contou-lhes também uma parábola sobre o dever de orar sempre, e nunca desfalecer”. (Lc 18:1).
Parte de Deus querer a comunhão conosco e, mediante a oração mantemos o nosso relacionamento com Ele.

O segundo motivo para orarmos incessantemente, é porque entendemos que a oração é o elo de ligação do qual somos carentes para recebermos as bênçãos de Deus, o seu poder e o cumprimento das suas promessas. Na Bíblia temos inúmeras passagens que testificam deste principio:
– A promessa de Jesus feita aos discípulos, a respeito de receberem o Espírito Santo, conquanto perseverassem em pedir, buscar e bater à porta de Deus Pai “Pois se vós, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?” (Lc 11:13); Os apóstolos se reuniram, após serem libertos da prisão, e oraram fervorosamente para que o Espírito Santo lhes concedesse ousadia e autoridade para pregarem a Palavra de Deus “E, tendo orado, moveu-se o lugar em que estavam reunidos; e todos foram cheios do Espírito Santo, e anunciavam com ousadia a palavra de Deus”. (At 4:31); Paulo com frequência, em suas cartas, pedia a orações dos irmãos em seu favor, pois sabia que a sua obra não prosperaria se os crentes não orassem por ele “Orando também juntamente por nós, para que Deus nos abra a porta da palavra, a fim de falarmos do mistério de Cristo, pelo qual estou também preso” (Cl 4:3) e Tiago declara com convicção que o crente pode receber a cura física em resposta a oração da fé “E a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados”. (Tg 5:15)

O terceiro motivo para orarmos incessantemente, é porque, como crentes, entendemos que somos cooperadores de Deus no seu plano de salvação da humanidade, e no processo de redenção temos na oração uma arma poderosa.
De um certo modo, Deus só opera mediante as orações incessantes do seu povo, ou seja, muitas coisas não serão realizadas se os crentes não orarem, em Josué 10:14, temos a prova cabal disto. Em Mateus 9:38, temos uma exortação a respeito de mais obreiros para a seara, se não pedirmos, o dono da seara não os enviará. Em outras palavras, o poder de Deus para cumprir muitos de seus propósitos é liberado somente através das orações contritas do seu povo.

Porém, nossas orações não podem estar vinculadas as circunstancias …
                             “Olhai, vigiai e orai; porque não sabeis quando chegará o tempo.”
Eu vejo, diante das crises que eventualmente se levantam, vários irmãos “conclamando” os crentes a orar, e, isso dá a impressão de que só oramos diante dos problemas. Por que não fazemos como Daniel?

A crise do policiamento na nossa cidade é legitimo, é um direito deles, o que não deveria estar acontecendo é o vandalismo, isso mostra que nossas orações, em favor dos perdidos não tem surtido o efeito que deveria. E a pergunta que faço é: O problema está no ímpio ou em nossas infrutíferas orações?
                                                                       MEDITE NISSO!

 

Fonte: Bíblia de Estudo Pentecostal

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.