Jesus, um sacerdócio perfeito.


Hebreus 7: 11

De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico (porque sob ele o povo recebeu a lei), que necessidade havia logo de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque, e não fosse chamado segundo a ordem de Arão?”

A maior dificuldade do ser humano está em reconhecer e admitir a própria incapacidade, não falo de incapacidade plena, mas de ser limitado. Existem algumas pessoas que conduzem determinadas situações ou assuntos sem nenhuma capacidade, e, não me refiro apenas as condições intelectuais, mas também as condições físicas, psíquicas e espirituais. Embora as limitações existam, elas não foram colocadas como um ponto final, elas devem ser vistas como desafios e, desafios que podem ser superados.

Por mais que o homem invente atividades e inove nas práticas litúrgicas do culto, jamais alcançará a perfeição. Deus não se impressiona com o comportamento humano, por mais que estejamos renovando, remodelando nossa adoração e buscando sempre oferecer algo inusitado para Deus, jamais conseguiremos surpreendê-Lo. Tudo quanto fazemos, não vai além daquilo do que Ele próprio requer de nós. A busca afoita pelo inusitado é consequência de uma linha de pensamento que julga a Bíblia e seus parâmetros obsoletos, porém, contradizendo os que assim pensam, quando nos deparamos com livros como o de Isaías, Jeremias, Miquéias e outros, vemos uma realidade atual estampada com tanta clareza nos versos dos profetas, que não há outra conclusão a se chegar de que a Bíblia é atemporal. Mesmo que tenha sido escrita a milhares de anos atrás, ela, como é a Palavra de Deus, não caiu em desuso e, muito menos, tornou-se inútil por causa do tempo.

O homem sempre esteve incluso nos projetos de Deus, mas, não apenas como mero coadjuvante ou agente passivo, o homem foi incluído para estar constantemente em atividade neste projeto. Somos cooperadores de Deus e não, simplesmente, serviçais. Quando Deus instituiu o ofício sacerdotal, estabeleceu uma liturgia regida por leis que deviam ser cumpridas na íntegra pelo sacerdote que estivesse oficiando um sacrificio. Porém, Deus sabia, antecipadamente, que a ordem sacerdotal iria se deteriorar com o passar do tempo. Deus sabia que nem todos os sacerdotes da antiga aliança, iriam exercer seu ofício com a dedicação e fidelidade. Deus sabia que por causa da limitação, por serem mortais, os sacerdotes levitas e seus sucessores tornar-se-iam negligentes com o ofício e as leis, inúteis e obsoletas. E, mesmo diante disto, Deus nunca descartou o homem dos seus projetos, mesmo porque, o homem é o alvo principal destes projetos.

Às vezes ouvimos alguém perguntar o porquê de Deus permitir determinada coisa sabendo antecipadamente que, tal coisa, daria errado. Ora, a Bíblia responde que: “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu”. Sendo assim, mesmo tendo conhecimento de que o homem falharia, Deus o incluiu nos seus projetos, por que tinha um propósito. E, alguém pode perguntar: “Mas que propósito é esse?”
Talvez a resposta não lhe agrade e, você tem todo direito de questioná-la, mas o principal propósito é para a exaltação e glorificação do nome de Deus.

Tudo quanto Deus fez, por meio dos seus servos, na antiga aliança, e que, sem exceção, houve algum tipo falha, tudo apontava, indicava e mostrava que alguém superior seria levantado para satisfazer a justiça do nosso Deus.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.