O homicida não fica impune diante de Deus

Gênesis 9: 5-6
E certamente requererei o vosso sangue, o sangue da vossa vida; da mão de todo animal o requererei, como também da mão do homem e da mão do irmão de cada um requererei a vida do homem. Quem derramar o sangue do homem, pelo homem o seu sangue será derramado; porque Deus fez o homem conforme a sua imagem

Não é novidade para ninguém que o sistema judicial está corrompido, está seriamente precisando ser, urgentemente, reformado, pois, a muito, já não se vê a equidade sendo praticada, com isso, não só as pessoas do mundo, mas, também os crentes, estão divididos na opinião sobre a pena de morte. Seria a pena de morte a solução para o problema dos homicídios? Será que sendo a pena de morte instituída, o número de crimes hediondos reduziria? A lei não foi dada para regenerar o homem, mas para revelar que há limites para os seus atos. E, quando esses limites são violados, consequentemente, haverá punição.

O governo humano é uma instituição estabelecida por Deus. Deus deu ao homem oportunidade de escolher homens que ocupassem, em qualquer esfera, cargos administrativos – “E tu dentre todo o povo procura homens capazes, tementes a Deus, homens de verdade, que odeiem a avareza”. Ou seja, a responsabilidade de escolher os homens que governem sobre nós, seja na esfera que for, é estritamente nossa. Deus não vai interferir na nossa escolha. Ora, se temos um governo onde a iniquidade impera e as leis fazem distinção entres as sanções penais de crimes de uma mesma categoria, devemos ter extrema cautela em apoiar ou, até mesmo, consentir em penalidades severas como a pena de morte. As chances de um “ladrão de galinha” ser executado e um infanticida ser libertado é muito grande.

O texto bíblico acima, não trata de uma vingança e, muito menos, de justiça feita com as próprias mãos. Deus não consente na criminalidade e nem apoia o criminoso, contudo, Ele também abomina a injustiça, sendo assim, o que Palavra está nos dizendo é que quando, e tão somente quando, alguém cometer um crime, tal pessoa deve ser entregue nas mãos da justiça para que seja presa, julgada e sentenciada. Deus, em hipótese alguma, está insinuando que devamos levantar as nossas mãos contra a vida do próximo. A vida humana é valiosa e muito preciosa.

Deus não teve a intenção de intimidar o homem violento o ameaçando com a pena de morte, antes o que Deus está dizendo é que o que está sendo praticado é um ato de justiça. O que vemos no texto bíblico é uma ordem de Deus. Ou seja, aquele que tirou uma vida humana, não tendo essa prerrogativa, deve, depois de preso, ser julgado e, se for condenado, sofrer a imputação da sentença.

Não podemos incorrer no erro de julgar que haja incoerência na Palavra de Deus, pois como em um lugar Ele institui a pena de morte e em outro ordena que o homem não pode matar. Isso não é incoerência, de maneira alguma, Deus se contradisse, ora, o mandamento é para não matar em hipótese alguma, contudo, aquele que violar o mandamento, deve receber a justa punição.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.