Uma fé que, de tão evidente, pode até ser vista.

Mateus 9: 2
E Jesus, vendo a fé deles, disse ao paralítico: Filho, tem bom ânimo; perdoados te são os teus pecados.”

Quando aquele que foi lavado e remido pelo precioso sangue de Jesus vertido na cruz, é despertado e convencido do pecado, ele é levado a perceber e sentir sua própria depravação e vileza, sua inegável e terrível culpa, sua extrema e legítima incapacidade de, por si mesmo, aproximar-se de um Deus infinitamente santo. Tal pessoa, é esvaziada de autojustiça e auto estima e, é conduzida ao pó da humilhação e ao reconhecimento do seu estado de condenado. A consciência, agora, vive um “martírio” por causa dos muitos pecados cometidos a ponto de excluir a expectativa de qualquer misericórdia.

Embora não haja nenhum poder no homem natural com força suficiente capaz de levantá-lo da condição miserável que se encontra, ele deve cooperar respondendo afirmativamente ao que Deus tem a oferecer.

Não nos desviando do ensino desta semana que se encontra na parábola da viúva e do injusto juiz, o texto de hoje nos traz, também, um grande exemplo do exercício da fé.

Quando Jesus desembarcou na praia da cidade onde morava, Cafarnaum, que margeava o lago de Genesaré, imediatamente, um aglomerado de pessoas se formou e “invadiram” a Sua casa e trouxeram-Lhe um paralítico. Os judeus acreditavam que os pecados de uma pessoa, acarretavam terríveis enfermidades físicas e, embora, não sendo visíveis, tais enfermidades quando interpretadas pela ótica espiritual, são, de fato, reais. E, não cabe nesta passagem qualquer especulação a respeito de quem estava com fé – se o paralítico ou os que o carregavam, o texto diz claramente que Jesus viu a fé deles.

 A popularidade de Jesus já tinha atingido patamares expressivos, por onde quer que fosse sempre havia pessoas ao seu redor para ouvi-Lo. Os milagres, das mais variadas ordens, operados por Ele, era do conhecimento de muitos e as notícias se espalhavam com o vento, todavia, nem todos que compunham a multidão buscavam em Jesus algum milagre – alguns queriam apenas ouvir seus ensinos; outros, apenas testemunhar ocularmente os acontecimentos; outros, apenas ver se Ele existia de fato; e,outros, apenas para criticar seu comportamento.

Não existe outra possibilidade de “ver a fé” que não seja através do coração. Nós identificamos alguém com fé, depois de uma atitude tomada. Julgamos que, tal atitude, foi tomada pela fé, mas Jesus “viu a fé” antes de operar o milagre. Tanto o paralítico quanto os amigos agiram com extrema fé.

A via de acesso a Jesus, que era a mais fácil, estava totalmente bloqueada e, não adiantaria falar da necessidade daquele paralítico, pois a maioria dos que ali estavam, tinham, também, uma necessidade, e não iam ceder lugar para eles. Rapidamente, buscando outra via de acesso até Jesus, arquitetaram um plano e o executaram.

Demonstrar fé não é somente agir no momento de desespero. Demonstrar fé é agir com convicção de que alguma coisa mudará, ainda que não seja o que estejamos buscando.

Mediante nossa fé, Deus nos concede o que necessitamos.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– O Espírito Operando Fé – Arthur W. Pink

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.