As armas da nossa milícia são espirituais e poderosas em Deus.

II Coríntios 10: 4
Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas, sim, poderosas em Deus, para destruição das fortalezas

O crente que declara que sua vida espiritual não é uma batalha diária, precisa rever seu conceito sobre ser servo de Deus, pois, se o inimigo de nossa alma não dá trégua para os que dão ouvido à sua voz, quanto mais se dirá dos que se opõe abertamente contra ele. Há de se entender que essas batalhas espirituais não se aplicam a ter, rotineiramente, uma vida atribulada, elas apontam, também, para as muitas tentações imperceptíveis das quais somos alvos constantes.

Pode até parecer um absurdo o que vou escrever, mas, infelizmente, ainda existem pessoas nas igrejas que acham que o diabo tem medo de paletó e gravata nos homens, saia longa e cabelo comprido nas mulheres. Pior do que isso é ouvirmos de alguns irmãos que o diabo corre “léguas” da igreja, que onde tem igreja o diabo dá a volta na outra rua para não passar perto. Entenderam ou foram instruído de maneira errada o que Jesus disse a respeito das portas do inferno não prevalecerem contra a Sua Igreja.

Uma das estratégias que Satanás lança mão nos últimos dias para macular a igreja, é de frequentar os cultos de adoração a Deus, aliás, digo mais, ele não só frequenta a igreja, ele tem feito muito mais que alguns crentes, ele participa do culto. Claro que glorificar a Deus isso ele não faz, mas, bater palmas, cantar, pular, rodopiar e balbuciar uma língua estranha, isso ele faz com a maior naturalidade e destreza.

Estão introduzindo nos cultos o costume de bater palmas para Jesus, para ficar mais bonito só está faltando alguns assoviarem e gritarem – UH HUH! Nunca li na Bíblia Sagrada qualquer coisa que, pelo menos, pudesse insinuar que Jesus requereu para Si algum tipo de aclamação, muito pelo contrário, o que Ele sempre solicitou, dos que foram abençoados, foi sigilo. Essa bobagem de bater palmas para Jesus é invenção de Satanás. Algumas pessoas querem dar a Jesus o que Ele nunca pediu para Si, aliás, quando Satanás sugeriu, na tentação do deserto, que Jesus fosse o “show man” dos cultos, a resposta do nosso Senhor foi bem incisiva – “não me tentes com essas bobagens”.

Não são as palmas “para Jesus”, nem os gritos estrondosos de glória e, muito menos, qualquer atitude expressada com o corpo que vão intimidar Satanás. As armas que temos para usar nessa batalha interminável, só são eficazes quando são municiadas pelo Espírito Santo de Deus. Não são os diplomas e certificados que nos habilitam, mas a comunhão e fé.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.