O apóstolo Paulo compara a nossa missão como a de um militar.

I Timóteo 1: 18
Este mandamento te dou, meu filho Timóteo, que, segundo as profecias que houve acerca de ti, milites por elas boa milícia

Nada mais próprio do que este versículo para atestar que o ministério pastoral é um chamado de Deus. Pois, somente um ministério dentro desta perspectiva é que tem todas as probabilidades de ser próspero. Deus só chama aqueles que são capazes de suportar toda e qualquer provação que, no decorrer do ministério, são imperiosas para aprovar o obreiro.

As orientações que Paulo está dando a Timóteo, podem até ter o tom específico para o jovem pastor, no entanto, ela se aplica a toda e qualquer pessoa que se dispõe a militar a boa causa do Evangelho de Cristo. Porém …, contudo …, todavia, voltamos a dizer que Deus não proíbe ninguém de militar a boa milícia, independente da forma como se alistaram para militar, no entanto, apenas os que recebem um chamado específico do supremo “General”, estão alicerçados nas profecias. Embora, é claro, existam os que receberam um chamado e que não acabaram a carreira.

O ponto de partida para qualquer ministério na vida do crente prosperar, é o interesse que o militante desperta pela causa que vai militar. E, a causa principal do Evangelho de Cristo envolve o amor. Não estamos falando do tipo de amor que é apenas retributivo, isto é, as pessoas amam por que lhes é conveniente expressar, mesmo que seja apenas verbalmente, o amor, mas, estamos falando deste tipo de amor: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”, embora para alguns isso possa ser impossível, e de fato o é, homem nenhum pode expressar, por si mesmo, o amor com que Deus nos amou, isso não quer dizer que não precisamos nos esforçar para amar desta forma. Nenhum ministério eclesiástico pode ser bem-sucedido se não estiver fundamentado no amor – “Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria”.

Quando somos alistados para militar pelo Evangelho de Cristo, passamos a enfrentar inúmeros perigos e nos tornamos alvo principal de Satanás que, usará todo recurso que tem para nos demover da milícia e, uma armadilha muito usada por ele para nos fazer suas presas é, inculcar-nos com o pensamento de que já sabemos de tudo, com isso, vamos nos afastando da Bíblia pelo simples fato de que já sabemos o que está escrito nela. Estamos tão familiarizados com a Palavra de Deus que, na grande maioria das vezes em que estamos estudando algum livro ou lendo um devocional como este, quando há alguma referência bíblica em que se coloca apenas o livro, o capítulo e o versículo, raramente vamos verificar. Memorizar toda a Bíblia não implica em conhecer suas verdades.

Por isso, o que milita pela causa do Evangelho de Cristo deve não apenas estudar ou examinar criteriosamente a palavra de Deus, ele deve também, praticar tudo quanto ela preceitua.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

One thought on “O apóstolo Paulo compara a nossa missão como a de um militar.

  • 28 de janeiro de 2022 em 18:00
    Permalink

    Maravilha Erivelton Figueiredo! Aqui Pastor Lucas Rocha da ADSA Brasil. Em SP. Graça e Paz de Cristo. Exegese Bíblica fundamental para nossos Dias. Grande Abraço.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.