O símbolo do sacerdócio eterno de Cristo.

Hebreus 7: 4-9
Considerai, pois, quão grande era este, a quem até o patriarca Abraão deu os dízimos dos despojos. E os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm ordem, segundo a lei, de tomar o dízimo do povo, isto é, de seus irmãos, ainda que tenham saído dos lombos de Abraão. Mas aquele, cuja genealogia não é contada entre eles, tomou dízimos de Abraão, e abençoou o que tinha as promessas. Ora, sem contradição alguma, o menor é abençoado pelo maior. E aqui certamente tomam dízimos homens que morrem; ali, porém, aquele de quem se testifica que vive. E, por assim dizer, por meio de Abraão, até Levi, que recebe dízimos, pagou dízimos.”

O texto proposto para este dia nos fala de uma forma bem enfática sobre a supremacia do sacerdócio de Cristo. A analogia feita pelo autor da carta aos Hebreus entre o sacerdócio de Melquisedeque e Jesus, nos fala de uma pessoa que, apesar de não pertencer à tribo de Levi, teve seu ministério reconhecido pelo patriarca Abraão. Semelhantemente, Jesus não sendo levita, exerceu um sacerdócio que, indiscutivelmente, foi superior, em todos os aspectos, ao sacerdócio levítico.

Ainda que a Bíblia fale muito pouco sobre quem foi Melquisedeque, alguns estudiosos afirmam que ele era um crente cananeu que creu em Deus, tal qual como Jó havia crido. Ele fora chamado por Deus para exercer o sacerdócio no tempo do patriarca Abraão. Ao assemelhar o sacerdócio de Cristo com o de Melquisedeque, a Palavra de Deus, nos ensina que o sacerdócio de Jesus era de uma nova dispensação, pois, caso contrário, Jesus jamais poderia exercer tal ministério. Jesus era judeu e não levita. Porém sua ordenação foi feita por Deus, conforme está registrado na Bíblia – “E visto como não é sem prestar juramento (a ordenação) (porque certamente aqueles (levitas), sem juramento, foram feitos sacerdotes, Mas este (Jesus) com juramento por aquele que lhe disse: Jurou o Senhor, e não se arrependerá; Tu és sacerdote eternamente, segundo a ordem de Melquisedeque”.

As obrigações atribuídas ao ofício de sumo sacerdote na antiga aliança nos revelam com exatidão a obra realizada por Jesus Cristo. Obra que continua proporcionando os mesmos benefícios até os dias de hoje a todos quanto recorrem a ela, sem a necessidade de ser repetida inúmeras vezes.

Quando fazemos uma comparação do ofício dos sacerdotes do passado com o de Cristo, constatamos que este superou, de uma forma infinitamente maior e melhor, ao ofício do sacerdócio levita. O sacerdote levita tomava a oferta da mão do pecador e, junto ao altar do holocausto degolava e sacrificava a vítima. Nosso Senhor Jesus cumpriu esse ritual de forma mais excelente: Ele subiu ao Gólgota oferecendo a Si mesmo como sacrifício e apresentou-o a Deus e, como está escrito, Deus recebeu com alegria – “Como também Cristo vos amou, e se entregou a si mesmo por nós, em oferta e sacrifício a Deus, em cheiro suave”.

Outra coisa que nos chama a atenção era o fato do animal ser degolado e sacrificado junto ao altar do holocausto para, depois, o seu sangue ser introduzido no Lugar Santíssimo. Assim foi com Jesus, Ele foi crucificado na Terra e ascendendo ao Céu apresentou diante de Deus seu próprio sangue. A aceitação por Deus, de seu sangue, dá a certeza da aceitação de todos os que confiam no seu sacrifício e, ainda que, Cristo tenha oferecido um sacrifício perfeito uma vez por todas, sua obra sacerdotal ainda continua.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Conhecendo as Doutrinas da Bíblia – Myer Pearlman
– Teologia Sistemática – Eurico Bergstén

Compartilhar

3 thoughts on “O símbolo do sacerdócio eterno de Cristo.

  • 14 de junho de 2019 em 08:05
    Permalink

    A Paz do SENHOR Jesus! A construção desta ideia/frase constante nesta matéria, está correta?
    A analogia feita pelo autor da carta aos Hebreus entre o sacerdócio de Melquisedeque e Jesus, nos fala de uma pessoa que, apesar de não pertencer à tribo de Levi, teve seu ministério reconhecido pelo patriarca Abraão.
    A tribo de Levi, é bem posterior a Melquisedeque. Não sei se consegui ser claro em minha colocação.
    Deus vos abençoe Em O Nome do SENHOR Jesus.

    Resposta
    • 14 de junho de 2019 em 08:45
      Permalink

      Graça e Paz, amado.
      O irmão está corretíssimo. Por estarmos falando de Abraão que foi o precursor (pai) de Israel, julguei desnecessário dizer isso.
      Mas o irmão está certo, às vezes penso que todos os crentes tem o dever de saber tudo.
      Agradeço a Deus pela sua observação.
      Deus te abençoe.

      Resposta
  • 14 de junho de 2019 em 14:15
    Permalink

    Parabéns pela explanação de Hoje. Que Deus continue até usar.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.