Não há homem que não peque.

Eclesiastes 7: 20
Na verdade que não há homem justo sobre a terra, que faça o bem, e nunca peque”.

Ainda que tenha as características de algo extremamente estarrecedor, essa declaração do Senhor Deus, tem por fim assinalar o projeto antecipadamente arquitetado para salvar o homem do seu terrível e irreversível estado de pecador. O motivo pelo qual Deus não ter usado um homem qualquer para livrar a humanidade da sua condição decadente, está no fato de que todo e qualquer homem já nasce com esse terrível “estigma” – o pecado. Diante disto, a declaração citada n o versículo acima, deixa de ser algo estarrecedor para se tornar uma “afirmativa verdadeira”.

Ser mordomo da alma e do espírito implica em estar em vigilância constante contra as ciladas do diabo, pois, ele com grande astúcia oferece sugestões, as quais, ao serem abraçadas, abrem caminho a desejos e atos pecaminosos. De uma forma geral, Satanás sempre usará os meios ou agentes dos quais nunca lançaríamos alguma desconfiança para nos persuadir a pecar. Com toda a certeza, a serpente no Édem não era um animal asqueroso, pois, se o fosse, Eva não teria parado para conversar com ela e, de igual forma, Pedro que nutria pelo mestre Jesus os mais nobres sentimentos e, mesmo assim, foi instrumento nas mãos do diabo.

Sempre gosto de apontar como a Palavra de Deus é extraordinária na sua interpretação. Ao declarar que não há homem justo sobre a terra o Senhor Deus está dizendo que dentro do padrão que Ele mesmo estabeleceu não existe um homem sequer nesta condição, nem vivo nem morto. Pois, ironicamente, dentro do nosso próprio conceito, muitos homens após a sua morte tornam-se as melhores pessoas que pisaram neste mundo. Contudo, o Senhor afirma que ninguém alcança o padrão de justiça estabelecido por Ele.

Quando dizemos, concordes, com a Palavra de Deus que não há quem faça o bem, não estamos dizendo que não existem as pessoas que fazem boas obras e que não são piedosas, claro que sabemos que existem muitas pessoas com essas características, mas, podemos afirmar, sem medo de errar ou de estar fazendo um equivocado julgamento, de que ninguém consegue viver só praticando o bem, em algum momento da vida haverá um deslize. Embora reconheçamos nossa incapacidade de alcançar o padrão que Deus requer, isso não é motivo para não nos esforçarmos e persegui-lo.

A questão de Deus afirmar que não existe homem quem não peque dispensa qualquer tipo de comentário, entretanto, falaremos sutilmente sobre o pecado, só para clarear o entendimento. O pecado é tanto um ato como um estado. Como rebelião contra a lei de Deus, é um ato da vontade do homem; como separação de Deus, vem a ser um estado pecaminoso. Segue-se uma dupla consequência: o pecador traz o mal sobre si mesmo por suas más ações, e incorre em culpa aos olhos de Deus. Nisto reside a nossa mordomia da alma e do espírito.

O efeito da queda arraigou-se tão profundamente na natureza humana que Adão, como pai da raça, transmitiu a seus descendentes a tendência ou inclinação para pecar.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Conhecendo as Doutrinas da Bíblia – Myer Pearlman

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.