Os pastores devem ser modelo para o rebanho.

I Pedro 5:3
 “Nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho”.

Uma certa pessoa ao passar e ver que seu pastor estava trabalhando limpando seu lote e cuidando do asseio de sua casa disse: “ – Muito bem meu pastor gosto de lhe ver assim trabalhando esforçado” e o pastor nada lhe respondeu. Ao retornar observou que seu pastor estava sentado, com roupa limpa, Bíblia do lado, muito quieto e pensativo. O irmão então disse: “- Ei, meu pastor, em pleno meio-dia descansando?”. O pastor não se conteve e respondeu de forma natural: “- A primeira vez que você passou eu estava me distraindo, agora eu estou trabalhando por você”.

Da parte dos israelitas, não havia nenhum ou muito pouco interesse nas qualificações morais ou espirituais do rei que estivesse sobre eles. Na verdade, a razão deles em querer um rei se fundamentava em interesses pessoais e não em interesse nacional. Para eles, tanto fazia se o rei fosse alguém digno ou honesto, o importante era que exercesse sua função de rei.

Deus deu ao povo de Israel, exatamente aquilo que eles queriam, naquilo que concerne ao pedido de um rei. Saul era o estereótipo perfeito para o povo de Israel, ele atendia todos os requisitos exigidos pelo povo. Porém, aquilo que o Senhor já tinha como propósito para o seu povo, ainda não era o tempo de se realizar. A insistência do povo em querer um rei, não fez o Senhor antecipar Seus planos e, muito menos, mudar Seus projetos. A monarquia já era um propósito de Deus para Seu povo (Gn 49:10). O Senhor já tinha um Rei estabelecido para reinar sobre seu povo; já tinha um Reino construído, só faltava formar os súditos.

Totalmente diferente de Saul, Davi não foi apenas um “chefe de estado” sobre Israel, a sua figura não era somente a de um governante que, como o Senhor havia alertado o povo, teria muitos direitos sobre eles, acima de tudo isso, Davi foi, naquilo em que não errou, um exemplo para toda a nação israelita.

Davi demonstrou pelo comportamento que cria em Deus desde a sua juventude – “Disse mais Davi: O Senhor me livrou das garras do leão, e das do urso; ele me livrará da mão deste filisteu”; buscava diligente e continuamente a face de Deus e o seu conselho, dependendo inteiramente dEle – “Então consultou Davi ao Senhor, dizendo: Perseguirei eu a esta tropa? Alcançá-la-ei? E lhe disse: Persegue-a, porque decerto a alcançarás e tudo libertarás”; na sua conduta pública obedecia ao Senhor e cumpria a Sua vontade de modo geral – “E, quando Saul foi retirado, levantou-lhes como rei a Davi, ao qual também deu testemunho, e disse: Achei a Davi, filho de Jessé, homem conforme o Meu coração, que executará toda a Minha vontade”.

Vemos nas passagens bíblicas que mesmo antes de ser coroado rei, Davi já tinha seu pequeno exército. Homens que o seguia não por imposição ou esperando se beneficiar no futuro, mas iam após as pegadas de Davi por causa da forma como eram conduzidos por ele.  Eles amavam o seu líder e alegremente se juntaram espontaneamente a ele e seu exército. Era tão amado pelos seus soldados que um simples desejo de Davi, para eles soava como uma ordem.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.