Fujamos da aparência do mal.

I Tessalonicenses 5: 22
 “Abstende-vos de toda a aparência do mal”.

Tenho dito sempre que se o pecado fosse algo do qual o homem se livrasse facilmente, não encontraríamos na Bíblia tanta advertências sobre a sua perniciosidade. É do Gênesis ao Apocalipse que o Senhor alerta o homem sobre a malignidade do pecado e suas consequências. Às vezes parecemos até repetitivos demais, pois, estamos sempre voltando ao mesmo ponto e dissertando sobre o mesmo assunto, contudo, nunca é demais falar daquilo que pode separar eternamente o homem de Deus. Não podemos ver as pessoas se distanciarem de Deus por causa do pecado e ignorar a situação. Nossa intenção não é acabar com o pecado, mesmo porque não temos capacidade para isso, mas nossa intenção é despertar as pessoas sobre a calamidade que o pecado ocasiona, não somente ao pecador em si mesmo, mas a todos que estão ao seu redor.

Não adianta querermos argumentar sobre a questão de que quem pecou foi Adão e não nós, por isso, seria injusto recebermos, em nós, os efeitos do erro do nosso pai Adão. Adão foi legalmente declarado por Deus como o representante de toda a raça humana. Adão é um personagem histórico, não é apenas uma figura poética ou um personagem mítico. No Antigo Testamento a palavra “adam” é usada mais de 500 vezes com o sentido de humanidade e também como nome próprio, ou seja, a Palavra de Deus dá ao termo original “adam” a conotação de representante oficial da humanidade.

Bom, diante disto, o pecado é algo que está presente na natureza humana, podendo se manifestar de forma variável de pessoa para pessoa, isto é, o que difere um pecador do outro é exatamente a intensidade com que o pecado se manifesta na vida do homem. Por isso, diante da face de Deus, um homicida é tão passível de perdão quanto nós que já vivemos para Cristo. Quando o Senhor nos adverte dos perigos do pecado, não o faz com a intensão de sermos melhores que os outros, mas para que andemos em obediência e submissão à Sua voz.

Nosso Deus conhece perfeitamente nossa estrutura e, sabe que somos fracos e, que somos facilmente enlevados pela concupiscência dos olhos, então, diante disso, Ele nos adverte constantemente para que não fixemos nossa atenção naquilo que aparenta ser mal. O problema não está, estritamente, no que os nossos olhos veem, mas naquilo que brota no coração quando nos detemos com mais atenção ao que estamos vendo – “Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte”.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Dicionário Bíblico Wycliffe

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.