A consequência do pecado é a morte.

Tiago 1: 14-15
 “Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência. Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte”.

É muito próprio para esta lição falarmos de dois lugares que já existem e que foram criados por Deus para um fim especifico – Céu e Inferno. O Céu é visto por alguns teólogos liberais como um estado de espírito e não um espaço físico, desta forma, os que aqui neste mundo alcançarem o perfeito estado de espírito já podem dizer que estão no Céu. Ora, diante de uma declaração como essa, eu fico sem entender nada, por que, outros afirmam que o inferno é aqui mesmo. Todavia, a Inerrante e Infalível Palavra de Deus – a Bíblia – nos assegura enfaticamente que ambos os lugares existem e já estão preparados para receber seus moradores. O Céu está preparado para receber os salvos em Cristo Jesus e, o inferno, apesar de ter sido construído somente para o diabo e seus demônios, receberá os que não creram em Jesus.

Diante disto, então, estamos conscientes de que dos dois destinos que espera o homem, um deles será a nossa habitação eterna. Nosso Deus não predestinou ninguém a nenhum deles, Ele elegeu o homem para ser salvo e aos que respondem afirmativamente a essa eleição estão predestinadas benção espirituais; aos que respondem negativamente a eleição divina, ou seja, rejeitam a oferta de Deus, nada mais óbvio do que seguirem para o inferno.

A existência do inferno é em razão da justiça de Deus, pois, – “Tu és tão puro de olhos, que não podes ver o mal e a vexação não podes contemplar”. Por causa disto é necessário que haja um lugar de punição além da vida terrena para o homem que insiste em viver impiamente, muitos estão vivendo enganadamente julgando que no final de toda a história, Deus vai salvar todo mundo. Mas não será bem assim, pois, além da justiça de Deus, o amor de Deus exige que haja um inferno, porque Deus não se impõe sobre o homem obrigando-o a amá-Lo, dessa forma, os que amam a Deus o amam livremente e, da mesma forma, os que não amam o Senhor estão desobrigados deste sentimento, ou seja, se tais pessoas optaram por não quererem estar com Deus, obviamente, que sua morada será o inferno.

Embora a existência do inferno seja especificamente para o diabo e seus demônios, o Senhor em Sua presciência viu que alguns homens estariam num estado de depravação moral e espiritual irreversível e, desta forma, o destino destas pessoas não poderia ser outro. Então, concluímos que a depravação humana exige que haja um inferno – “Os seus pés correm para o mal e se apressam para derramarem o sangue inocente; os seus pensamentos são pensamentos de iniquidade; destruição e quebrantamento há nas suas estradas. Não conhecem o caminho da paz, nem há juízo nos seus passos; as suas veredas tortuosas, as fizeram para si mesmos; todo aquele que anda por elas não tem conhecimento da paz”.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Teologia Sistemática – Norman Geisler

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.