Deus revelou aos profetas as promessas messiânicas.

Isaías 53: 1-12
 “Quem deu crédito à nossa pregação? E a quem se manifestou o braço do Senhor? Porque foi subindo como renovo perante ele e como raiz de uma terra seca; não tinha parecer nem formosura; e, olhando nós para ele, nenhuma beleza víamos, para que o desejássemos… … O trabalho da sua alma ele verá e ficará satisfeito; com o seu conhecimento, o meu servo, o justo, justificará a muitos, porque as iniquidades deles levará sobre si. Pelo que lhe darei a parte de muitos, e, com os poderosos, repartirá ele o despojo; porquanto derramou a sua alma na morte e foi contado com os transgressores; mas ele levou sobre si o pecado de muitos e pelos transgressores intercedeu”.

A “mola” que nos estimula a prosseguir para o “alvo” não é a que os artistas plásticos usaram, através de suas obras, tentando nos transmitir a aparência física do nosso Senhor Jesus, pois pouco nos importa qual era sua real aparência física. Não nos importa o comprimento de seus cabelos; não nos importa a cor de seus olhos; não nos importa a cor da sua pele e, qual estilo de barba Ele usava. Não seguimos a Jesus por causa dos seus atrativos físicos, mas pelo ensino e exemplo que nos deixou a ser seguido de: caráter, obediência, santidade e piedade. Creio firmemente que a expressão dos artistas quando tentam retratar a imagem do nosso Senhor Jesus é falsa, pois a Bíblia diz que Ele era homem experimentado no trabalho. E quem trabalha não tem tempo a perder com algumas frescuras.

O tema proposto para este artigo é muito próprio para os nossos dias. Claro que sabemos que desde o nascimento da igreja, sempre houve no meio dela “joio” e “trigo”, mas, ultimamente, a situação está numa intensidade alarmante.

Desde o tempo de Jesus, da multidão que sempre o acompanhava, nem todos queriam a mesma coisa com Jesus.  Os motivos que impulsionavam as pessoas a desejarem estar perto dEle, eram os mais diversos e, muito provavelmente, tinha os que estavam ali porque viam nEle algum atrativo externo. Para esse tipo de gente, às vezes, a beleza física não é levada em conta quando a pessoa é muito popular e, pouco importa se alguém que é muito popular não tem aparência nenhuma, mas, se fica rodeado de pessoas isso basta.

Aplicando isso ás igrejas, existem muitas igrejas que estão superlotadas por causa de um ou outro que frequenta essas igrejas. Em outros casos, estão superlotadas porque o “fulano” é pastor nela. Em outras situações, é por causa da suntuosidade do templo. As pessoas que frequentam as igrejas com esse sentimento em seus corações, para elas pouco importa o que estão pregando ou ensinando nestas igrejas, na verdade elas nem sabem o que estão pregando ou ensinando, mas o mais importante é ser membro da maior e melhor organização religiosa do Brasil, é ter fulano como “meu pastor” (ele nem sabe que eu existo, mas tudo bem).

Como alguém pode dar crédito ao trabalho de uma igreja que não está fundamentada na doutrina dos apóstolos e dos profetas? Pois, a igreja que está firmemente estabelecida sobre a doutrina dos apóstolos e dos profetas, dá poderoso testemunho, tais como: pecadores sendo salvos e nascendo de novo, batizados nas águas e acrescentados à igreja; participam da Ceia do Senhor e esperam a volta de Cristo.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Pentecostal

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.