A tragédia se abateu sobre Jó – Terceiro anúncio.

Jó 1: 17
 “Estando ainda este falando, veio outro e disse: Ordenando os caldeus três bandos, deram sobre os camelos, e os tomaram, e aos moços feriram ao fio da espada; e só eu escapei, para te trazer a nova”.

À medida que vamos aprofundando, cada vez, mais na inebriante história de Jo, temos por obrigação não duvidarmos do quanto Satanás é maligno e cruel. Embora a existência de Satanás é comprovadamente declarada na Bíblia, nosso Deus não se ocupou em nos revelar tudo acerca dele, muito pelo contrário, o propósito do nosso Deus ao nos deixar Sua Palavra revelada impressa com tinta em papel, é nos conduzir a uma convicção cada vez mais solidificada de que nenhum mal que nos sobrevêm é maior que nossa estrutura, seja física ou espiritual. Satanás pode “rugir” ao nosso redor com toda fúria e ódio que lhes são peculiares, todavia, das intenções que ele tem até a concretização delas há um Deus Tremendo.

A terceira notícia chega a Jó ainda quando estava ouvindo as anteriores e a conclusão racional era a de que Jó estava literalmente falido – perdeu tudo, absolutamente tudo. Notemos, e isso é de suma importância frisar, que as perdas não se limitavam apenas à esfera financeira. A intenção de Satanás não era somente deixar Jó pobre, somado a isso queria lhe infligir sofrimento com a perda das vidas dos que trabalhavam para Jó. Um homem com o caráter de Jó, indiscutivelmente, sofreu muito com isso. Seu lamento não era só pelas coisas materiais, aliás, pelo testemunho que Deus deu dele, o seu lamento era exclusivamente pelas vidas dos seus companheiros.

Os registros acerca destes “caldeus” são insuficientes para afirmarem categoricamente que se tratava dos ascendentes dos babilônios, todavia, o Dicionário Bíblico Wycliffe, diz que: – “A palavra grega chaldaioi (hebr. kasdim) designava um grupo de tribos semitas que viviam nas “terras do mar” do sul da Babilónia. Foi encontrada pela primeira vez em textos de 1000 a.C., mas provavelmente seja uma palavra muito mais antiga. É possível que seminômades de Kaldu ocupassem os desertos do norte da Arábia (Jó 1.17) e tivessem se estabelecido na região do Golfo Pérsico no final do terceiro milénio a.C”.

O numero de camelos que Jó possuía não era para ostentação, mas para comprovar que um numero inferior a três mil seria insuficiente para transportar toda a produção de Jó e, ou os seus bens. E, enfatiza e joga por terra qualquer alegação sobre a condição nômade de Jó.
Os camelos eram usados para transporte de cargas e, segundo os estudiosos, cada animal adulto suporta uma carga de até 270 kg. Seu pelo era importante – “E este João tinha a sua veste de pelos de camelo e um cinto de couro em torno de seus lombos e alimentava-se de gafanhotos e de mel silvestre”. Os camelos eram fonte de alimento, a sua carne era apreciada pelos árabes, que também bebiam o seu leite.

O número de animais que Jó possuía servem para evidenciar que este homem era, sem dúvida, muito rico e que, mesmo possuindo tudo isso, não foi dominado pelo que tinha.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Dicionário Bíblico Wycliffe.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.