A ação do Espírito Santo é fundamental na preservação do mundo.

Salmos 104: 30
 “Envias o teu Espírito, e são criados, e assim renovas a face da terra”.

É expressamente imprescindível ao estudioso ou examinador da Sagrada Escritura conhecer a doutrina que trata especificamente sobre Deus para que, assim e somente assim, possa falar do Espírito Santo. O Espírito Santo não é uma “fumacinha” que se manifesta esporadicamente nos cultos afogueados, aliás, um culto sem a gloriosa presença dEle não pode proporcionar nada nas pessoas. O Espírito Santo é o “catalizador” do crente, é Ele quem nos estimula incessantemente a perseverar na fé nos consolando, edificando, exortando e ensinando. É Ele quem “traduz” nossas orações ao Pai quando, por alguma dificuldade, não conseguimos nos expressar corretamente diante do nosso Deus. É Ele quem intercede por nós com gemidos inexprimíveis – “E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis”.

Então, antes de falarmos propriamente do Espírito Santo, relembraremos alguns pontos importantes da doutrina de Deus, mais especificamente, falaremos da trindade ou tri-unidade. Do Gênesis ao Apocalipse está declarado que toda a humanidade está condenada por causa do pecado, desta forma, todos (sem nenhuma exceção) precisam de salvação. Ora, como bem sabemos, as três pessoas de Deus (Pai, Filho e Espírito Santo) agem de forma distinta na salvação do homem, todavia sem que haja anulação da autoridade ou poder de um ou de outro. De uma maneira bem simples, para entendermos com bastante clareza, a salvação se dá da seguinte maneira: o Pai quer salvar o homem, mas, Ele faz isso através do Filho e, este só recebe aqueles que o Espírito Santo envia, ou seja, o Espírito Santo convence o pecador que ele precisa ser reconciliar com o Pai, mas, que essa reconciliação só é possível através do Filho. Salvação que não ocorre exatamente de acordo com esse processo não é salvação.

Pearlman no livro – Conhecendo as Doutrinas da Bíblia, escreve o seguinte sobre a tri-unidade de Deus – “As Escrituras ensinam que Deus é Um, e que além dele não existe outro Deus. Entretanto, este Deus nunca esteve só. Não é o caso de haver três Deuses, todos três independentes e de existência própria. Os três cooperam unidos e num mesmo propósito, de maneira que no pleno sentido da palavra, são “um”. O Pai cria, o Filho redime, e o Espírito Santo santifica; e, no entanto, em cada uma dessas operações divinas os Três estão presentes. O Pai é preeminentemente o Criador, mas o Filho e o Espírito são tidos como cooperadores na mesma obra. O Filho é preeminentemente o Redentor, mas Deus o Pai e o Espírito são considerados como Pessoas que enviam o Filho a redimir. O Espírito Santo é o Santificador, mas o Pai e o Filho cooperam nessa obra”.

Não é de se espantar que esse seja um assunto difícil de compreender, e nem poderia ser diferente, pois estamos falando de Deus, e qual dos homens por mais “letrado” que seja pode assegurar com firmeza o que diz do Senhor?

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Conhecendo as Doutrinas da Bíblia – Myer Pearlman

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.