A vigilância é um dos ensinos paulinos.

I Tessalonicenses 5: 4-6
 “Mas vós, irmãos, já não estais em trevas, para que aquele Dia vos surpreenda como um ladrão; porque todos vós sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite nem das trevas. Não durmamos, pois, como os demais, mas vigiemos e sejamos sóbrios”.

Satanás nestes últimos tempos tem usado todos os meios para iludir o homem com promessas vãs, promessa de paz e segurança. Entretanto, é conveniente entendermos que o que ele está prometendo é algo que ele mesmo vai proporcionar, é algo que se aplica apenas no âmbito secular – físico. O que Satanás está prometendo é que ele (através dos seus agentes neste mundo) vai fazer aquilo que a Bíblia (Palavra de Deus) está dizendo que ocorrerá no fim dos tempos. A Bíblia fala de aflições, perseguições, tribulações e densas trevas que se abaterão sobre a humanidade e, em contrapartida, Satanás promete que ele não vai deixar isso acontecer, ele está prometendo paz e segurança (v. 3) para todas as pessoas.

Em termos seculares, paz e segurança nunca estão juntas numa mesma situação, elas são condições antagônicas. Evidentemente que não estamos fazendo referência ao sentido literal de cada termo, não estamos apontando para o significado deles, mas para o sentimento que ambos promovem. E, para entendermos com maior facilidade o que estamos dizendo, analisemos as seguintes situações: em um ambiente onde “teoricamente” reina a paz, as pessoas não investem tanto em segurança privada, como por exemplo, um condomínio fechado, embora haja “seguranças” para garantir a paz, o sentimento que envolve todos os moradores do condomínio é o de que estão seguros e, em virtude disso, as casas não têm muralhas, nem alarmes, nem portas e janelas blindadas, ou seja, se “reina a paz” neste ambiente a segurança foi ignorada.

Por outro lado, ainda analisando essa questão, quando dizem que precisamos investir mais em segurança, nossa paz é roubada de nós, como por exemplo, a situação que o mundo está atravessando. A nossa paz foi tirada de nós, pois exigem que, PARA NOSSA SEGURANÇA, devemos nos isolar dentro de casa, como se isso fosse o suficiente para impedir qualquer tipo de contágio. Em nome da segurança a escolas estão fechadas, templos com suas atividades suspensas, as pessoas proibidas de se divertirem livremente e, consequentemente, tudo isso, querendo nós ou não, tira a nossa paz.

Paz não é somente a ausência de conflitos. Ter paz é não sofrer com nenhuma perturbação ou aflição. E, segurança não significa apenas as medidas tomadas contra os perigos que põe em risco nossa vida, mas é a convicção de que nenhum imprevisto sobrevirá.

Sendo assim, como dissemos acima, a paz e a segurança, no plano secular, nunca estão juntas, mas em se tratando da esfera espiritual são os dois elementos bases que impulsionam o crente a avançar na sua peregrinação neste mundo. Nenhuma perturbação ou aflição apavoram os que estão seguros nas promessas do nosso Jesus.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.