Buscar os dons com zelo.

I Coríntios 12: 31
 “Portanto, procurai com zelo os melhores dons; e eu vos mostrarei um caminho ainda mais excelente”.

Da mesma maneira que Jesus veio ao mundo com um propósito específico o Espírito Santo foi enviado ao mundo para uma missão definida, e partirá quando sua missão tiver sido cumprida. Ele veio ao mundo não somente com um propósito determinado, mas também por um tempo determinado. Nas escrituras encontramos três dispensações gerais, correspondendo às três Pessoas da Divindade – o Antigo Testamento é a dispensação do Pai; o ministério terreno de Cristo é a dispensação do Filho; e a época entre a ascensão de Cristo e sua segunda vinda é a dispensação do Espírito. O ministério do Espírito continuará até que Jesus venha, depois virá outro ministério dispensacional. O nome característico do Espírito durante essa dispensação é “o Espírito de Cristo”.

Toda a Trindade coopera na plena manifestação de Deus durante essas dispensações. Cada um exerce um ministério terreno: o Pai desceu no Sinai; o Filho desceu na encarnação; o Espírito desceu no dia de Pentecoste. O pai recomendou o Filho – “E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo”; o Filho recomendou o Espírito – “Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas”, e o Espírito testifica do Filho – “Mas, quando vier o Consolador, que eu da parte do Pai vos hei de enviar, aquele Espírito da verdade, que procede do Pai, testificará de mim”. Como Deus, o Filho cumpre para com os homens a obra de Deus o Pai, assim o Espírito Santo cumpre para com os homens a obra de Deus o Filho.

O principal objetivo do Consolador é o aperfeiçoamento do corpo de Cristo – a Igreja. As marcas do governo do Espírito estavam profundamente arraigadas na igreja primitiva. A igreja entregou inteiramente sua vida à direção do Espírito; no início ela rejeitou as formas fixas de adoração, até que no fim do século, a influência do Espírito Santo sobre a igreja começou a declinar e os dogmas religiosos ocuparam o lugar da direção do Espírito. Evidentemente que isso não ocorreu de forma generalizada e podemos verificar que o Espirito Santo ainda está governando algumas igrejas e, isso se dá na forma como algumas igrejas administradas; nas mensagens que são pregadas; nas músicas que são cantadas; no testemunho que a igreja dá do evangelho de Cristo; e, no tempo que a igreja dedica à oração.

Na igreja do primeiro século, o governo do Espírito era verificado por suas manifestações, mas do segundo século até os nossos dias, esse governo, foi submetido à regra da igreja, isto é, qualquer fenômeno espiritual que não estivesse em conformidade com essa regra era atribuído a espíritos maus. As mesmas causas, nos tempos modernos, têm resultado em descuido da doutrina e da obra do Espírito Santo, descuido reconhecido e lamentado por muitos dirigentes religiosos. Apesar desses fatos, o poder do Espírito Santo nunca deixou de romper todos os impedimentos do indiferentismo e formalismo, e operar com força vivificadora.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Conhecendo as Doutrinas Bíblicas – Myer Pearlman (Extraído na íntegra e adaptado)

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.