Igrejas plantadas em lugares onde Cristo não foi anunciado.

Romanos 15: 20
 “E desta maneira me esforcei por anunciar o evangelho, não onde Cristo houvera sido nomeado, para não edificar sobre fundamento alheio”.

Quando leio isso que Paulo escreveu – “para não edificar sobre fundamento alheio” – fico imaginando o que passa na cabeça de alguns “irmãos” que causam divisões nas igrejas e saem por esse mundo afora plantando igreja à revelia. Eu, como cristão evangélico, acho o cúmulo do absurdo essa situação. São igrejas das mais diversas denominações que, em sua maioria, não possuem nenhum tipo de vínculo com nenhuma convenção e, não estamos dizendo, com isso, que uma igreja para ser reconhecida como igreja tem que estar vinculada a uma convenção. Evidentemente, que não é a convenção quem dá credibilidade a igreja, mas o que está sendo anunciado no púlpito dela (da igreja), porém, se as convenções se dispusessem a cumprir com seriedade e honestidade os papéis para o qual foram criadas, com toda certeza não haveria esse número absurdo de igrejas por aí.

Vamos ter em mente que o “fundamento alheio” ao qual Paulo se refere, se trata de querer plantar uma igreja num lugar onde já existe uma igreja da mesma denominação, embora o nome (a placa) da igreja não seja a mesma, todavia, são coerentes ou professam os mesmos ensinos doutrinários. Sendo mais claro com as palavras, o que estamos dizendo é que é inconcebível que igrejas do seguimento pentecostal fiquem disputando o espaço na cidade como se fossem concorrentes. A pergunta que tem que ser feita é a seguinte: o que essas igrejas que surgem da noite para o dia tem a oferecer de melhor? Cada um de vocês que responda para si mesmo.

Não estamos generalizando e nem dizendo que toda divisão na igreja é ruim ou que é causada por alguém de má índole. Há situações em que a divisão é necessária e urgente. É o caso quando o Espírito Santo começa a despertar alguns irmãos dentro da igreja para a real condição espiritual (miserável) da liderança e do corpo de obreiros. Neste caso a situação não pode ser vista como uma divisão, mas, como um escape para os remanescentes. Jeremias escreveu o seguinte –“Saí do meio dela, ó povo meu, e livre cada um a sua alma, por causa do ardor da ira do Senhor”. Neste tipo de situação não se diz que se edificou sobre “fundamento alheio”, mas que por causa da condição do fundamento, percebe-se que a única saída é “plantar” outro fundamento.

Meus irmãos, não se irritem quando faço criticas severas neste sentido, pois, tenho testemunhado que a quantidade de gente que está por aí “pregando a palavra” não tem o mínimo conhecimento doutrinário (nem digo teológico) sobre o que é salvação. Outro dia perguntei a um destes “pregadores” quanto tempo ele tinha de conversão e, pasmem, tive que explicar para ele o que era conversão. Não que ele não soubesse o significado do termo, mas é muita confusão que fazem com a obra que, pelo sacrifício de Jesus, foi realizada em nós.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

2 thoughts on “Igrejas plantadas em lugares onde Cristo não foi anunciado.

  • 8 de novembro de 2021 em 20:47
    Permalink

    Eu estou totalmente de acordo com o texto pois aqui onde eu moro tem muito isso de divisões descabidas.

    Resposta
  • 9 de novembro de 2021 em 15:17
    Permalink

    A paz do Senhor Jesus muito verdade isto pois hoje igreja é igual comércio muitos irmãos não estão olhando mais.pois qual quer coisa sai de lugar e vai para outro sem saber que produto está comprando

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.