Fale a verdade de coração.

Salmos 15:1-3
 “Senhor, quem habitará no teu tabernáculo? Quem morará no teu santo monte? Aquele que anda em sinceridade, e pratica a justiça, e fala verazmente segundo o seu coração; aquele que não difama com a sua língua, nem faz mal ao seu próximo, nem aceita nenhuma afronta contra o seu próximo”.

Nossas palavras são poderosas, e o modo como nós as usamos interfere diretamente em nosso relacionamento com Deus. Talvez nada, identifique tanto os crentes como a sua habilidade de controlar a fala. dizendo a verdade, recusando-se a caluniar e mantendo a sua palavra. Tanto o que falamos quanto o que deixamos de falar é importante. Para falarmos adequadamente, não devemos apenas dizer as palavras certas no tempo certo, mas também não devemos dizer aquilo que não deve ser dito. Os exemplos de uma língua não domada incluem mexericos, desprezo pelas pessoas, vangloria, manipulações, falsos ensinos, exageros, reclamações, lisonjas e mentiras.

As expressões “tabernáculo e santo monte” são relativas ao lugar da habitação de Deus e à adoração. Deus conclama seu povo a ser moralmente justo. Neste salmo, há dez princípios para determinar se estamos agindo de acordo com a vontade de Deus. Vivemos no meio a pessoas más, cujos padrões de vida e de moralidade estão desgastados. Os nossos padrões não devem estar baseados nos dessa sociedade perversa, mas nos princípios que Deus estabeleceu em sua Palavra.

Em vista disto, o salmista pergunta que tipo de pessoa desfruta da íntima presença de Deus e tem comunhão com Ele? Esta pergunta subentende que o crente pode dar motivo para que Deus retire a sua presença da vida dele, pela prática da iniquidade, do engano, da calúnia, ou de egoísmo. Por isso, devemos examinar diariamente os nossos atos, confessar nossos pecados, abandoná-los e esforçar-nos constantemente em Cristo para nos apresentar aprovados diante de Deus e reconhecer que perder a comunhão com Deus é perder tudo – “Se dissermos que temos comunhão com ele e andarmos em trevas, mentimos e não praticamos a verdade. Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado”.

O salmista descreve o pecador salvo como alguém que exibe indicações de integridade ética. O salmo todo se desenrola por meio de um sistema de perguntas e respostas com o seu foco na responsabilidade moral, o salmo fornece uma sequência de respostas a perguntas sobre a adoração aceitável. Na realidade, a intenção do salmista é apresentar um hino que celebra o adorador ideal do Senhor, pois, as respostas às perguntas são uma demonstração das características marcantes do caráter do adorador. Características morais e espirituais que vão além do que exigem as leis do Pentateuco

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal.
– Bíblia de Estudo Pentecostal.
– Bíblia de Estudo NAA

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.