A oração em forma de verdadeira confissão.

Daniel 9:3-4
 “E eu dirigi o meu rosto ao Senhor Deus, para o buscar com oração, e rogos, e jejum, e pano de saco, e cinza. E orei ao Senhor, meu Deus, e confessei, e disse: Ah! Senhor! Deus grande e tremendo, que guardas o concerto e a misericórdia para com os que te amam e guardam os teus mandamentos …”

Os textos bíblicos propostos para hoje são: I Reis 8:47; Neemias 1:6; e, Daniel 9:3-15, e dos três, optamos pelo texto do livro de Daniel (citado parcialmente, mas comentado na íntegra). Abaixo teceremos comentários sobre os três textos sugeridos pela revista.

O primeiro texto, que se encontra em I Reis 8:47, fala da oração de Salomão e, ela é um modelo completo concernente ao que devemos ansiar em nosso andar com o Senhor. Salomão rogou pela presença protetora e ajuda do Senhor; ele pediu que o Senhor Deus confirmasse a sua palavra, através do cumprimento de suas promessas; que Deus operasse graciosamente no coração do povo, a fim de guardarem a palavra de Deus e amarem seus justos caminhos; que Deus atendesse as orações de todos os dias e suprisse as necessidades diárias; e, que houvesse no coração do povo uma compreensão cada vez maior da excelsa e mirífica natureza de Deus.

O segundo texto está em Neemias 1:6. Aborda o momento em que Neemias recebe a notícia da situação dramática em que encontrava a cidade, o templo e o povo. Neemias tinha grande solicitude pelo seu povo e pela obra de Deus em Judá. Durante quatro meses derramou seu coração diante de Deus, em jejum e oração, com muitas lágrimas, por causa do problema que afligia o povo de Deus em Jerusalém e em Judá. Sua oração incluiu a confissão de pecados, súplica a Deus para Ele cumprir a sua própria palavra, seu zelo pela glória e propósitos de Deus e intercessão incessante pelos filhos de Israel – “Estejam, pois, atentos os teus ouvidos, e os teus olhos, abertos, para ouvires a oração do teu servo, que eu hoje faço perante ti, de dia e de noite, pelos filhos de Israel, teus servos; e faço confissão pelos pecados dos filhos de Israel, que pecamos contra ti; também eu e a casa de meu pai pecamos”.

E, por fim, o terceiro texto encontra-se em Daniel 9:3-15. Como podemos perceber, numa oração intercessória (nestas citadas) quem orou não se excluiu da necessidade de ser abençoado por Deus, ou seja, a pessoa se via na mesma condição de todo o povo. E, Daniel não se acomodou para esperar passivamente o cumprimento da restauração prometida. Pelo contrário, começou a interceder, de todo coração, com jejum e súplicas pelo cumprimento da palavra de Deus. Daniel começou a orar, com intercessão, reconhecendo a grandeza de Deus, que suscita reverente temor, o seu amor fiel e sua misericórdia para com aqueles que o amam e o obedecem. A seguir, fez confissão do pecado, identificando-se com o povo de Israel que pecara contra Deus e se rebelara contra Ele. Pediu a restauração de Jerusalém, não por causa de qualquer mérito seu, ou de Israel, mas “por amor do Senhor”.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Pentecostal.
– Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.