O valor da piedade cristã.

1 Timóteo 4:7
 “Mas rejeita as fábulas profanas e de velhas e exercita-te a ti mesmo em piedade”.

Champlin escreveu que ‘a pessoa piedosa é alguém cheia de reverência e de amor a Deus, e que, em sua vida, faz com que seus pensamentos, seus motivos e seus atos concordem com os princípios espirituais. Tal pessoa mostra-se ativa no desenvolvimento de sua espiritualidade, mediante a oração, a meditação, o treinamento intelectual sobre as questões espirituais (mediante a leitura de livros bons e o estudo), a prática da lei do amor e das boas obras, a santificação e as experiências místicas — por meio de cujas coisas buscamos a presença do Senhor’. É impossível alguém ser considerado bom se não estiver exprimindo o amor de Deus a outras pessoas, mediante atos piedosos.

Paulo fala de “fábulas judaicas”, referindo-se, possivelmente, a espécies de lendas sobre personagens do Antigo Testamento que são encontradas em muitos dos escritos apócrifos judaicos, genealogias sem fim. Talvez uma referência a uma primitiva forma de especulações detalhadas (frequentemente associadas a mitos judaicos) que se desenvolveram no gnosticismo. Estas especulações diziam respeito às origens do mundo e aos inúmeros seres espirituais, supostamente envolvidos na criação.

Não podemos deixar de citar que a exortação de Paulo se aplica em gênero, número e grau aos crentes dos dias atuai. É impressionante (pra não dizer decepcionante) o que temos ouvido de fábulas proferidas por alguns pregadores e, é digno observar que estas ‘coisas’ são fomentadas por pessoas que possuem certo grau de conhecimento bíblico. O leigo (biblicamente falando) só fala o que é básico – Jesus salva, cura, batiza com o Espirito Santo e em breve vem buscar sua igreja. Enquanto que, por outro lado, os “dôtores” em bibliologia ficam especulando assuntos e fomentando questões que ninguém possui a resposta, muito menos eles.

Os falsos mestres são motivados por seus próprios interesses ao invés de serem motivados pelos interesses de Cristo. A igreja, desde a sua instituição, sempre possuiu em seu ‘corpo’ membros corrompidos. Pessoas que sempre viram na igreja um meio de viver folgadamente, sem ter que desperdiçar seu suor para obter seu pão.  Eles envolveram a igreja em “fábulas ou… genealogias intermináveis”, em questões irrelevantes e controversas, desperdiçando um tempo precioso que deveria ter sido empregado no estudo da verdade. Hoje também podemos entrar em discussões fúteis e irrelevantes, mas tais discussões afastam as pessoas da mensagem de Cristo, que transforma vidas. Fique longe da especulação e dos argumentos religiosos e teológicos sem sentido.

Tais exercícios, a princípio, podem parecer inocentes, mas ao final nos desviam da mensagem central do evangelho — a pessoa e a obra de Jesus Cristo. Estas práticas consomem o tempo que devemos usar para compartilhar as Boas Novas com outras pessoas. Devemos evitar qualquer coisa que nos impeça de fazer a obra de Deus.

Erivelton figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Enciclopédia de Champlin, vol. 5
– Bíblia de Estudo Pentecostal

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.