Devocional lição 08/ 2ºtrim 2017, Sábado – O fruto da justiça é para os que exercitam a paz.

Tiago 3:18
Ora, o fruto da justiça semeia-se na paz, para os que exercitam a paz”.

É imprescindível condições adequadas, para a semente da justiça se desenvolver. O “lavrador” não lança semente num campo onde há um distúrbio entre os irmãos, onde há pessoas amotinadas ou onde há uma briga entre irmãos contenciosos, mas sim em condições calmas e pacíficas. Precisa haver paz, tranquilidade e ausência de perturbação na congregação para a semente da justiça se desenvolver, manifestar e prosperar espiritualmente, em especial, para os membros estudarem a Palavra de Deus e se desenvolverem plenamente em entendimento e maturidade. 

A origem determina o fim. A sabedoria do mundo produz resultados mundanos; a sabedoria do alto produz frutos espirituais. Um dos motivos pelos quais o mundo encontra-se tão caótico é a recusa dos seres humanos em aceitar a sabedoria de Deus. Existe uma grande diferença entre os resultados produzidos por mãos humanas e os frutos dados por Deus. O fruto é produto da vida e contém dentro de si as sementes para mais frutos. Costuma-se colocar no solo a semente, mas aqui o fruto é semeado. Ao compartilhar os frutos de Deus com outras pessoas, elas são alimentadas e saciadas e, por sua vez, dão mais frutos.
A vida cristã consiste em semear e em ceifar. Aliás, toda vida é assim, e ceifamos exatamente o que semeamos. O cristão que segue a sabedoria de Deus semeia a justiça, não o pecado; semeia a paz, não a guerra.

Somos o que vivemos, e o que vivemos é o que semeamos. Se vivermos segundo a sabedoria de Deus, semearemos justiça e paz e colheremos a bênção de Deus. Se vivermos segundo a sabedoria do mundo, semearemos pecado e guerra e a colheita será desastrosa.

A Bíblia não se preocupa em minuciar a vida de Abigail, pois “pelos frutos se conhece a árvore”. Sem dúvida alguma, aquela mulher foi uma promotora da paz em toda a sua vida. E agora, estava colhendo o fruto de uma vida empenhada em manter a paz a qualquer custo.
Precisamos de algumas “Abigaís” em nossas igrejas. Não me refiro a apenas mulheres com temperamento igual ao dela, mas pessoas (homens e mulheres) com características, atitudes e comportamentos espirituais idênticos ao de Abigail.
Sem dúvida, Abigail deve ter ficado contente de ver-se livre do jugo de um homem tão perverso, com o qual provavelmente havia se casado contra a vontade. Abigail causara tamanho impacto em Davi com seu caráter e sabedoria a ponto de ele considerar que seria uma boa rainha. Assim, enviou mensageiros a fim de pedir a mão de Abigail em casamento. Era uma oportunidade que mulher alguma recusaria, e ela se sujeitou a seu rei e se ofereceu até para lavar os pés, não apenas do rei, mas também dos servos do rei.

O fruto da justiça semeia-se em paz, isto é, a verdadeira justiça produz a paz e os justos do Senhor colherão a paz. Ninguém pode afirmar que está agindo com justiça, promovendo a guerra, essa não é a justiça que vem de Deus.
Da sabedoria de Deus podemos aprender que ela não é fruto da ciência, nem produto de muitos estudos. Ela é resultado da nova natureza espiritual do crente, desenvolve-se pela sua constante comunhão com o Senhor, é instruída pelo estudo da Palavra, e derramada pelo Espírito Santo de Deus. É pura, pacífica, moderada, tratável, misericordiosa, frutífera e imparcial.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.