A Palavra de Deus lembra a efemeridade da vida.

Eclesiastes 1: 2-4
Vaidade de vaidades! – diz o pregador, vaidade de vaidades! É tudo vaidade. Que vantagem tem o homem de todo o seu trabalho, que ele faz debaixo do sol? Uma geração vai, e outra geração vem; mas a terra para sempre permanece.”

Estamos vivendo em um tempo onde a frivolidade está no mais alto ponto do mastro. Ela tornou-se o estandarte de muitas pessoas na sociedade e, mesmo tendo conhecimento de que a própria vida é passageira, tais pessoas, colaboram para que ela se torne cada vez mais efêmera. Tudo, nos dias de hoje, é tratado como futilidade – relacionamentos, compromissos, fidelidade, honestidade, hombridade, sexualidade, religiosidade, etc., etc., etc.

O diabo tem cegado as pessoas quanto a forma de interpretar a Bíblia. Quando lemos na Palavra de Deus que a vida é como um conto ligeiro, em momento algum nosso Deus está sugerindo que devemos viver de maneira irresponsável. Muito pelo contrário do que o sistema do mundo dita como regra, por ser a vida um conto ligeiro, nosso Deus nos convida a vivê-la de forma plena. Devemos desfrutar de cada precioso minuto que vivemos, pois não sabemos se concluiremos nossos planos. Porém, devemos desfrutar de maneira responsável e sábia, fazendo o que é bom não só para mim, mas também ao próximo. A nossa satisfação não pode ser alcançada usando as pessoas como degraus.

A grande maioria das pessoas estão “conectadas” através da internet. A internet tornou-se algo vital na vida das pessoas. Ela tornou-se um bem de consumo essencial, é raro entrarmos numa casa onde não há algum tipo de conexão com a rede mundial de computadores, ela virou um item de primeira necessidade. Isso é fácil de verificar. Basta andarmos pelas ruas das cidades e observarmos as pessoas. Basicamente, todas as pessoas andam pelas ruas com seu celular nas mãos enviando mensagens ou respondendo mensagens ou simplesmente verificando se alguém curtiu ou compartilhou alguma publicação que tenha feito.

AINTIGAMENTE uma amizade era caracterizada pela presença física dos amigos. O abraço caloroso, o aperto firme de mão, o “olho-no-olho”, a visita cordial inesperada, as longas conversas “cara-a-cara”, tudo isso eram características de uma amizade sólida e indestrutível. O conceito de que o homem é, por natureza, um ser social, era prevalente, embora, sem dúvidas, houvessem os que preferiam viver isolados.

O problema é que esse conceito foi substituído, no presente século, por um estilo de vida onde está evidenciado a defesa dos próprios interesses, ou seja, “é a minha satisfação que importa primeiro”. Sendo assim, o que temos visto no presente século, são relacionamentos superficiais e com aspectos apenas virtuais, relacionamentos que na realidade são efêmeros e inúteis. As pessoas mesmo tendo milhares de seguidores nas redes sociais, continuam isoladas do mundo e vivendo de maneira solitária.

O homem de muitos amigos deve mostrar-se amigável, mas há um amigo mais chegado do que um irmão.”

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.