As parábolas e o Reino de Deus.

Mateus 13: 10-12
E, acercando-se dele os discípulos, disseram-lhe: Por que lhes falas por parábolas? Ele, respondendo, disse-lhes: Porque a vós é dado conhecer os mistérios do Reino dos céus, mas a eles não lhes é dado; porque àquele que tem se dará, e terá em abundância; mas aquele que não tem, até aquilo que tem lhe será tirado.”

Embora o uso das parábolas tenha sido característica ímpar do ensino popular de Jesus, visto que “Sem parábolas não lhes falava”, não foi Cristo o criador desse recurso didático. As parábolas são utilizadas desde a antiguidade. Embora Jesus tenha contribuído para os escritos sagrados com parábolas inigualáveis e tenha elevado esse método de ensino ao mais alto grau, era sabedor da existência milenar desse método de apresentar a verdade. Na época e na região em que Jesus apareceu, as parábolas eram, como as fábulas, um método popular de instrução, e isso entre todos os povos orientais.

A primeira parábola, registrada, em forma de fábula, mostra árvores escolhendo para si um rei, retrato do que aconteceria entre o povo (Jz 9). Jotão usou essa fábula com o objetivo de convencer os habitantes de Siquém sobre a tolice de terem escolhido por rei o perverso Abimeleque.

O ensino por parábolas tem muitas utilidades e possui vantagens sem igual. Seu mérito ou valor, como instrumento pedagógico, está no fato de ser um teste de caráter cujo resultado pode ser punição ou bênção. Fazendo uso da parábola, Jesus procurou confiar as verdades espirituais do seu Reino ao entendimento e ao coração dos homens. Ao adotar um método reconhecido pelos mestres judeus, Cristo atraiu mentes e prendeu atenções. Os homens tinham de ser conquistados, e a parábola era o melhor método disponível para conseguir isso. Além do mais, Jesus foi extraordinário no uso das parábolas.

Jesus adotou o método de ensinar por parábolas quer ao se dirigir aos discípulos, quer aos fariseus, seus inimigos, a fim de convencer aqueles e condenar estes. A pergunta dos discípulos “Por que lhes falas por meio de parábolas?”, é respondida por Jesus nos cinco versículos seguintes. Cristo abria a boca e falava em parábolas por causa da diversidade de caráter, de nível espiritual e de percepção moral de seus ouvintes. “Por isso lhes falo por parábolas”. Por isso dá a entender que: “Como a instrução tão comumente dada a eles em linguagem clara de nada lhes aproveita, agora vou tentar, com figuras e símiles, levá-los a refletir, conduzindo-os a uma preocupação maior acerca da salvação”.

Infelizmente, tal era a insensibilidade tola dos líderes religiosos, os quais não compreendiam a verdade profunda e espiritual que Jesus, de maneira tão vigorosa, lhes entregou em forma de parábola. Esses líderes também não perceberam que as parábolas são os melhores instrutores dos que estão cheios da Palavra de Deus, e ensinam e valorizam as coisas relacionadas ao Reino de Deus.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Todas as Parábolas da Bíblia – Herbert Lockyer

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.