Os semeadores devem semear.

Marcos 4: 4 e 14
Ouvi: Eis que saiu o semeador a semear. … O que semeia, semeia a Palavra;”

Esta parábola, a do semeador, algumas vezes é interpretada indevidamente. Embora seja, com muita frequência, usada no evangelismo, ela se aplica também aos que já conhecem o evangelho. Ela pode e deve ser extremamente difundida no discipulado de um novo convertido.

Saiu o semeador a semear”. Jesus começa sua “pregação” dizendo que o semeador saiu a semear, isto é, ele lançaria as sementes ao solo que, possivelmente, deveria estar pronto a receber as sementes. A preparação do solo é feita com antecedência, e de acordo com a parábola, o semeador sabia que o solo já estava em condições de receber a semente, pois, se assim não fosse, Jesus não teria disto desta forma.

O semeador não saiu para avaliar o solo, ele saiu para semear e, por onde foi passando foi lançando a semente. Mesmo tendo o discernimento de que a semente não brotaria em algumas partes ou que em outras não “vingaria”, ele não reteve sua mão de lançar a semente, continuou seu labor com a mesma dedicação. Na verdade, o semeador não voltou atrás para verificar se seu trabalho estava sendo próspero, ele concluiu sua jornada de trabalho e com certeza, no final, exclamou: “Acabei a carreira!” Claro que ele deve ter visto o fruto do seu trabalho, e isso foi o suficiente para que seu coração rejubilasse de alegria por ter sido útil ao seu próximo.

O semeador não perdeu tempo criticando ou argumentando sobre o precário trabalho efetuado no solo. Tem momentos que perdemos nosso precioso tempo questionando e investigando aquilo não edifica espiritualmente. Ficamos presos a detalhes ou questões insignificantes que não acrescentam em nada nossa fé. Queremos entender o supérfluo e deixamos escapar o que realmente traz algum ensino.

O semeador pode ser interpretado como sendo todo aquele que se dispõe a anunciar o Evangelho de Jesus Cristo. Ele sai anunciando o Evangelho sem fazer acepção de pessoas. Não somos nós que determinamos quem deve ou não deve ouvir as Boas Novas de Salvação, nosso trabalho é anuncia-la. Não somos nós que julgamos que o terreno está impróprio para a semente, devemos lança-la indistintamente.

Nesta parábola, Jesus deixa explícito que o problema estava declaradamente no solo. Não era o semeador que estava fazendo um trabalho deficiente e, muito menos, eram as sementes de péssima qualidade, toda precariedade do trabalho se deu pela péssima condição do solo em alguns lugares. E, é exatamente isso que está acontecendo, no meio evangélico, com muita frequência. O problema não está nos pregadores (falo dos que estão compromissados com as doutrinas Bíblicas) e nem nas mensagens que pregam, o problema está nos que ouvem. Muitos estão com o coração cheio das coisas deste mundo e não tem espaço para a Palavra de Deus.

Existem muitos “semeadores” em nossos dias, semeando algo que é muito semelhante a Palavra de Deus, mas que não germinam nem produzem frutos no coração de quem ouve.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.