O cristão deve pagar os impostos.

Romanos 13:7
Portanto, dai a cada um o que deveis: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem temor, temor; a quem honra, honra

Seria cômico se não fosse trágico o comportamento de alguns crentes que se envolvem em manifestações públicas reivindicando direitos nas mais diversas aéreas – direito a escola; direito a moradia; direito a dignidade; direito a emprego; direito a alimentação; direito a energia elétrica; direito a gás de cozinha; direito a lazer, etc. etc. etc., são uma infinidade de direitos que se fosse escrever todos eles me faltaria tempo e “bytes”. Claro que os direitos devem ser reivindicados se não forem cumpridos pelos órgãos governamentais, todavia, nenhum direito deve ser exigido por alguém que não cumpre seus deveres de cidadão.

A carta que Paulo escreveu aos crentes de Roma é uma exortação aos crentes de qualquer época a se comportarem na sociedade em que vivem, de maneira que em sua conduta diante do mundo não haja o mínimo de reprovação.

Embora esse tema seja, também, muito polêmico, não resta a menor dúvida de que toda e qualquer autoridade, como assevera a Escritura Sagrada, é designada por Deus – “E Deus muda os tempos e as estações; Ele remove os reis e estabelece os reis”, no entanto, alguns governantes que Deus estabelece, Ele o faz para que estes executem Seus propósitos – “Porém o Senhor endureceu o coração de Faraó, e não os ouviu, como o Senhor tinha dito a Moisés”.

Certo filósofo¹ francês declarou que “cada povo tem o governo que merece”, ou seja, esta declaração afirma que as pessoas põem sobre elas, como governantes, indivíduos com o mesmo caráter que o delas. Falando com mais clareza, a filosofia é que alguém que tenha um péssimo caráter não vai querer conviver com quem é diferente dele. De uma forma geral, a filosofia diz que se os que estão governando sobre o povo são corruptos, isso se deve pelo fato de que eles foram eleitos por pessoas com os ideais ou ideologias corrompidas.

Ao contrário do que algumas pessoas ensinam e pregam, crente não está neste mundo para consertá-lo, estamos aqui para anunciar a salvação em Cristo Jesus e, ainda que sejamos, tão somente, peregrinos nesta terra, devemos viver consoante a sua legislação. Quanto ao “viver consoante”, não aponto para as praticas pecaminosas que a própria lei dá “brecha”, antes, aponto para um viver íntegro e honesto no meio de tanta imundícia.

Por integridade e honestidade devemos entender que antes de exigir o que nos é por direito, devemos examinar a consciência e ver se temos cumprido com nossos deveres, tanto como cidadãos desta terra como cidadãos do Céu.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– 1 – Conde Joseph-Marie de Maistre foi um escritor, filósofo, diplomata e advogado.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.