Jesus veio para servir.

Mateus 20: 26-28
 “Não será assim entre vós; mas todo aquele que quiser, entre vós, fazer-se grande, que seja vosso serviçal; e qualquer que, entre vós, quiser ser o primeiro, que seja vosso servo, bem como o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e para dar a sua vida em resgate de muitos”.

Jesus deseja que os que estão dispostos a servi-Lo com fidelidade e integridade, estejam plenamente conscientes de que os valores éticos e morais do Seu Reino são completamente o inverso dos valores que o sistema do mundo preconiza. As regras e os conceitos que o mundo estabelece como padrão para todo e qualquer homem, não podem ser usados como parâmetros dentro das igrejas. As prioridades que o sistema do mundo estabeleceu para que o homem seja próspero no seu desenvolvimento sócio-econômico, bem como, para que alcance prestígio entre as pessoas (independente da área em que vai atuar) estão, embora muitos neguem isso, em evidente contra-mão daquilo que Deus determinou.

Quando dizemos “estar na contra-mão”, estamos falando de atitudes que, em alguma situação ou circunstância, estarão confrontando abertamente ou a vontade Deus ou a imposição do mundo, isto é, se optamos por seguir o que o mundo estabelece, indiscutivelmente, no colocamos em clara oposição à Deus ou vice-versa. E, o que é a vontade de Deus para com a vida do homem? Lembremo-nos daquela passagem bíblica onde Davi suspirando disse que tinha o desejo de beber água da cisterna de Belém. Ele apenas suspirou, ele não deu uma ordem aos seus homens, pelo contrário, eles ouviram o seu desejo e, imediatamente, se dispuseram em atender o seu desejo. Assim é a vontade de Deus para conosco, Ele não ordena que cumpramos a Sua vontade, mas que voluntariamente possamos observa-las.

O que Jesus está ensinando é que as nossas conquistas, sejam no campo espiritual ou secular, vão depender do quanto estamos sendo fiéis ao querer de Deus para conosco. No contexto do assunto desta semana, estamos dizendo que o obreiro só exercerá autoridade dentro da igreja segundo a dedicação e zelo que tiver pelas almas na igreja e não pelo domínio opressor. Ele só será grande quando se fizer pequeno. O obreiro não deve procurar alcançar as posições mais altas a fim de exercer autoridade ou domínio. Pelo contrário, deve dedicar sua vida a ajudar os outros, especialmente na labuta pelo bem espiritual de todos.

Jesus, o Homem, com toda a autoridade que possuía – “E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra”, esteve em nosso meio e, em nenhum momento exigiu dos homens qualquer respeito ou honra que lhe era devido, a Sua vontade sempre foi a de que os que ouvissem suas mensagens, espontaneamente se sujeitassem à Sua autoridade. Sendo assim, se pretendemos ser “grandes”, então devemos ser úteis a todos os irmãos da igreja e, se almejamos ser os primeiros, então devemos ser os que mais serviços prestam para o Reino de Deus.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.  

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.