Deus controla o curso da história humana.

Josué 21: 45
 “Palavra alguma falhou de todas as boas palavras que o Senhor falara à casa de Israel; tudo se cumpriu”.

Ao dizermos que o curso da historia humana está sob o criterioso controle de Deus, evidentemente, algumas pessoas vão dizer que as guerras não têm origem em Deus, bem como as catástrofes, sendo naturais ou não, também não podem ser acontecimentos criados por Deus, e, de fato, essas pessoas estão cobertas de razão. Determinados acontecimentos que causaram grande assombro na humanidade devido à extensão das suas desastrosas  e, em algumas situações, irreversíveis consequências, não ocorreram pela vontade soberana de Deus. Não no sentido explícito de ser o que Ele queria que acontecesse. Da vontade de Deus, sabemos que, de modo geral, a Bíblia refere-se a ela em três sentidos diferentes. 

Num primeiro sentido, entendemos que a vontade de Deus é outra maneira de se identificar a Lei de Deus. Davi, por exemplo, forma um paralelo entre a frase “tua lei” e “tua vontade” – “Deleito-me em fazer a tua vontade, ó Deus meu; sim, a tua lei está dentro do meu coração”. O apostolo Paulo, de igual modo, considera que, conhecer a Deus é sinônimo de conhecer a sua vontade – “Eis que tu, que tens por sobrenome judeu, e repousas na lei, e te glorias em Deus; e sabes a sua vontade, e aprovas as coisas excelentes, sendo instruído por lei”. Noutras palavras: como em sua Lei o Senhor nos instrui no caminho que Ele traçou, ela pode ser apropriadamente chamada “a vontade de Deus”. “Lei” significa essencialmente “instrução”, e inclui a totalidade da Palavra de Deus.

Também se emprega a expressão “a vontade de Deus” para designar qualquer coisa que Ele explicitamente quer. Pode ser corretamente designada de “a perfeita vontade” de Deus. É a vontade revelada de Deus é que todos sejam salvos e que nenhum crente caia da graça. Porém isso não quer dizer que todos serão salvos, mas apenas que Deus deseja a salvação de todos.

E, por fim, a “vontade de Deus” pode referir-se aquilo que Deus permite, ou deixa acontecer, embora Ele não deseje especificamente que ocorra. Tal coisa pode ser corretamente chamada “a vontade permissiva de Deus”. De fato, muita coisa que acontece no mundo e contraria a perfeita vontade de Deus (por exemplo: o pecado, a concupiscência, a violência, o ódio, e a dureza de coração), mas Ele permite que o mal continue por enquanto sem que esse, entretanto, mude, invalide ou impeça que Seus propósitos se cumpram. Um grande exemplo disto é a chamada de Jonas para ir a Nínive fazia parte da perfeita vontade de Deus, mas sua viagem na direção oposta estava dentro de sua vontade permissiva. Além disso, a decisão de muitas pessoas permanecerem sem salvação é permitida por Deus. Ele não impõe a fé aos que recusam a salvação mediante o seu Filho. Semelhantemente, muitas aflições e males que nos acometem são permitidos por Deus, mas não é desejo seu que soframos.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Pentecostal (pág. 1844 extraído e adaptado)

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.