"𝓔, 𝓵𝓲𝓫𝓮𝓻𝓽𝓪𝓭𝓸𝓼 𝓭𝓸 𝓹𝓮𝓬𝓪𝓭𝓸, 𝓯𝓸𝓼𝓽𝓮𝓼 𝓯𝓮𝓲𝓽𝓸𝓼 𝓼𝓮𝓻𝓿𝓸𝓼 𝓭𝓪 𝓳𝓾𝓼𝓽𝓲𝓬̧𝓪". 𝓡𝓶 6:18

Devocionais EBD

Quando a igreja ora e jejua pelos missionários.

Atos dos Apóstolos 13:1-3
 “Na igreja que estava em Antioquia havia alguns profetas e doutores, a saber: Barnabé, e Simeão, chamado Níger, e Lúcio, cireneu, e Manaém, que fora criado com Herodes, o tetrarca, e Saulo. E, servindo eles ao Senhor e jejuando, disse o Espírito Santo: Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado. Então, jejuando, e orando, e pondo sobre eles as mãos, os despediram.

Esse foi o início da primeira viagem missionária de Paulo. A igreja estava envolvida no envio de Paulo e Barnabé, mas o plano era de Deus. Eles seguiram pelas estradas do Império Romano, o que tornou a viagem mais fácil. Visitaram populações e centros culturais importantes, a fim de alcançarem tantas pessoas quanto fosse possível. O destino de um missionário não é traçado por ele mesmo, o que o missionário pode fazer é planejar como chegar até onde o Espírito Santo deseja. Paulo e Barnabé foram a cidades que possuíam sinagogas; falaram primeiro aos judeus, com a esperança de que estes recebessem a Jesus como o Messias e ajudassem a divulgar as Boas Novas aos demais povos.

Não encontramos em nenhum lugar na Bíblia Sagrada alguma instrução aos missionários sobre a realização de trabalhos sociais ou políticos no lugar para onde forem enviados. A filosofia de que todos os meios usados para anunciar o evangelho são válidos é falaciosa. Os missionários do Novo Testamento não foram enviados aos campos para propagar o evangelho e fundar igrejas mediante o exercício de todos os tipos de atividades sociais ou políticas para o bem da sociedade. O alvo deles, bem como o nosso também é o de conduzir pessoas a Cristo, livrá-las do poder de Satanás, levá-las a receber o Espírito Santo e organizá-las em igrejas.

Os missionários do evangelho de hoje devem ser ministros e testemunhas do evangelho, que levem outros a Cristo, livrando-os do domínio de Satanás, fazendo-os discípulos, motivando-os a receber o Espírito Santo e os seus dons e ensinando-os a observar tudo quanto Cristo ordenou. Isto deve ser acompanhado de sinais e prodígios, cura de enfermos e libertação de oprimidos pelos demônios. Esta tarefa suprema de pregar o evangelho, no entanto, deve também incluir atos pessoais de amor, de misericórdia e de bondade para com os necessitados. Deste modo, todos que são chamados a dar testemunho do evangelho servirão na causa divina segundo o modelo de Jesus.

A atividade missionária é originada pelo Espírito Santo, através de líderes espirituais que estão profundamente dedicados ao Senhor e ao seu reino, buscando-o com oração e jejum. A igreja deve estar atenta ao ministério e atividade proféticos do Espírito Santo e sua orientação. Os missionários que são enviados, devem fazê-lo segundo a chamada e a vontade específicas do Espírito Santo.

Mediante a oração e o jejum, a igreja buscando constantemente estar em harmonia com a vontade do Espírito Santo, confirma a chamada divina de determinadas pessoas à obra missionária. O propósito é que a igreja envie somente aqueles que forem da vontade do Espírito Santo.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Pentecostal.
– Bíblia de Estudo e Aplicação Pessoal.
– Bíblia de Estudo MacArthur.

Compartilhar

Erivelton Figueiredo

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.