Devocional lição 12/ 1ºtrim 2107, Quinta-feira – O amor precisa ser abundante.

I Tessalonicenses 3:12
E o Senhor vos aumente e faça crescer em caridade uns para com os outros e para com todos, como também nós para convosco

Não conseguiremos amar nosso próximo com amor ágape, se não amarmos a Deus primeiro. É o Espírito Santo que nos capacita para cumprir o segundo maior mandamento da lei. João enfatizou a importância do amor ágape, ”Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor. … E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele.”

Pode parecer estranho, mas o amor ágape inclui o “amar a si mesmo”. Esse amor próprio é a preocupação maior com as coisas do Reino de Deus, pois reconhecemos que a vida eterna tem muito mais valor do que as coisas desta vida, porquanto não nos prendemos a elas. E quando agimos desta forma, demonstramos uma preocupação com nossa vida espiritual. O crente que ama a si mesmo com amor ágape, ele cuida das suas necessidades pessoais e permite que o Espírito Santo o ajude a desenvolver, em si, o caráter de cristão através do estudo da Palavra, da oração e da comunhão com os irmãos. Ele desejará que o amor ágape seja manifesto em sua vida, conformando-o a imagem de Cristo diariamente. Bom, partindo deste ponto, o amor que o crente dedica a si mesmo revela o amor que ele tem ao próximo, evidenciando assim o amor que ele tem a Deus.

A igreja de Tessalônica era mui zelosa, porém imatura. Paulo, devido a perseguição ferrenha dos judeus, não pode permanecer muito tempo com a igreja recém fundada. Partiu dali deixando muitos ensinos a serem aplicados, posteriormente, por Timóteo. E um dos ensinos que Paulo, insistentemente, ministrava era a questão do amor fraterno. Os tessalonicenses deveriam entender que só seriam vistos pela sociedade se vivessem de maneira diferente. O amor demonstrado na igreja tinha que ser o ágape, não poderia ser outro.
O que Paulo queria é que a igreja de Tessalônica, fosse operosa e não somente teórica, por que não adianta ter uma igreja cheia de crentes alegres, cheios de cânticos, louvores e expressão de muita fé se tudo isso não for banhado pelo amor ágape, pois sem esse “tempero” tudo não passa de sentimentalismo.

Um dos propósitos dos ensinamentos bíblicos é capacitar o crente para enfrentar as situações adversas da vida. As situações se fundamentarão naquilo em que encontrarem em nós. Tem muitas pessoas que diante dos problemas constroem muros ao redor de si, outras constroem pontes para se chegarem a Deus. Algumas se isolam, outras querem maior comunhão. O que Paulo quer que todas as igrejas aprendam e pratiquem, é o amor mútuo progressivo.

Isto vos mando: Que vos ameis uns aos outros”.

É interessante sabermos que o verbo “ameis” está no tempo presente subjuntivo no original grego, o que isso tem de importante? A importância desta informação é entendermos o que o Senhor Jesus quis dizer com essa frase. Ele está falando da possibilidade, daqueles que derem ouvidos a sua Palavra, serem obedientes a sua ordem. Amar o próximo com sinceridade de coração, não é uma opção, é uma condição.

Deus te abençoe.
Graça e Paz

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.