Devocional lição 02/ 2º trim 2017, Sábado – Abel, morto por seu próprio irmão.

Gênesis 4:8
E falou Caim com o seu irmão Abel; e sucedeu que, estando eles no campo, se levantou Caim contra o seu irmão Abel e o matou”.

É interessante que a despeito de todos os alertas divinos Caim manteve-se obstinado em seu furor contra seu irmão. Sua completa rejeição do conselho de Deus demonstra também que Caim dava pouco valor às palavras de Deus. A ira já tinha tomado conta de sua vida, e sua capacidade de reflexão estava ofuscada pelo ódio. Caim havia entrado naquele estágio de ignorância provocada pelo aguçar do pecado. Trata-se daquele ponto em que, tomado por ódio, tudo o que se pensa é em como descarregar a raiva e o ódio.

Eva que tinha visto em Caim, o cumprir da promessa de Deus, “a semente da mulher” que pisaria na cabeça da serpente, contempla agora aquele que assassinara o próprio irmão. A completa rejeição do conselho de Deus por Caim, o apresenta como um pecador irado e teimoso, e essa condição o torna um assassino cruel. Não é à toa que a reputação neotestamentária de Caim é tão ruim. É importante notar que todos os acontecimentos narrados no capítulo 4 de Gênesis, são consequências anunciadas já na queda. A dissolução da família, a queda do amor e a entrada do ódio eram esperadas. A queda levou o ser humano ao frustrante conhecimento do bem e da maldição do desejo de só praticar o que é mal.

O crime de Caim foi premeditado. O motivo para assassinar não brotou de uma hora para a outra, ele já nutria um péssimo sentimento pelo irmão. O homicídio foi o ponto culminante de algo que Caim já vinha cultivando a tempos. Provavelmente, ao convidar Abel para dar uma volta, Caim tinha a intenção de ocultar como Abel tinha morrido, se naquele tempo, segundo a palavra de Deus, não existiam outras pessoas naquelas cercanias, certamente a culpa seria dele.
Como vemos, desde Adão e Eva os pecados eram cometidos na “calada da noite”, eram praticados e, num esforço tremendo tentavam oculta-los, e quando eram descobertos as pessoas se envergonhavam, se escondiam e para reparar o erro, até mudavam de cidade. Hoje se praticam os mesmos erros do passado a luz do dia, o que era errado, agora, dentro do conceito humano, não é mais. As pessoas não se envergonham mais dos seus atos, pior que isso, aliciam admiradores, fãs e seguidores.

Uma pergunta se faz necessária: de onde surgiu o ódio de Caim por Abel? Caim, por ser o primogênito herdou do pai a profissão de lavrador de terra, Abel por sua vez foi pastor de ovelhas. O que passo a escrever daqui por diante, não está na Bíblia, é apenas uma interpretação minha, possivelmente, Caim odiou seu irmão por causa do seu trabalho, pode ser que Caim quisesse Abel fazendo as mesmas coisas que ele, pois num julgamento feito a grosso modo, o trabalho de pastor é mais fácil e menos penoso que o de cuidar da terra. Vendo por este ângulo, nos deparamos com muitos Cains em nossos dias. Existem muitos crentes que se julgam indispensáveis na obra de Deus, e menosprezam o trabalho de outros.

Amados, devemos atentar para um ponto muito importante nesta história: o pecado de Adão e Eva. Um “pecadinho” de nada, culminou na geração seguinte num ato homicida. O relacionamento entre irmãos deve ser administrado pelos pais, sempre haverá competição entre os irmãos, no entanto, os filhos devem ser instruídos a cooperarem mutuamente. Adão e Eva falharam neste ponto, provavelmente por Caim ser o filho preferido deles.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton Figueiredo

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.