Devocional lição 05/ 2º trim 2017, Sábado – Deus quer que os irmãos vivam em união.

Salmo 133:1
Oh! Quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união! ”

Estar unido nem sempre significa estar no mesmo propósito. No contexto bíblico, ecumênico significa “relativo a toda a terra habitada; universal” ou apenas “o mundo”. O sentido bíblico do termo “ecumênico” é o da união de todos os crentes por iniciativa do Espírito Santo. O ecumenismo que se busca hoje, confunde a unidade dos verdadeiros crentes, com a união de igrejas e organizações ou com a união de todos os que de alguma forma creem em Deus ou em alguma divindade.

Ainda tenho outras ovelhas, não deste aprisco; a mim me convém conduzi-las; elas ouvirão a minha voz; então, haverá um rebanho e um pastor
A Bíblia, porém, enfatiza com muita clareza a exclusividade da verdadeira Igreja, fundada sobre a Palavra de Deus. 

Os problemas que Jacó enfrentou desde a sua infância, não foram causados por causa da escolha de Deus, pelo contrário, os problemas foram criados por toda a família que não soube lidar com a profecia. Cada membro, apesar de integrar a mesma família, buscava os próprios interesses.
Viver em união é viver por um objetivo comum a todos. Claro que tem que haver divergências de opiniões, mas elas não podem ser o gatilho das porfias e intrigas. Acredito que com o diálogo, o problema na casa de Jacó seria resolvido, apesar de velho, Isaque ainda era sensato, e mesmo que estivesse lhe faltando a sensatez, a questão da escolha do filho que daria continuidade aos propósitos de Deus, já estava decidido e foi o próprio Deus quem havia decidido, e, mesmo que Esaú fosse seu filho preferido, Isaque não podia alterar o que Deus havia dito acerca dos meninos.

Num exame cauteloso das Escrituras, facilmente observaremos que, nem sempre, os “irmãos” vivem em união. Caim matou Abel, Ló se desentendeu com Abraão, Esaú odiou a Jacó, com desejo de mata-lo, os irmãos de José o odiavam e o venderam como escravo e esses mesmos irmãos também não se entediam uns com os outros, Miriã e Arão criticaram seu irmão Moisés, e alguns dos filhos de Davi se voltaram contra ele. Os discípulos de Jesus discutiam com frequência sobre quem deles era o maior e, Paulo e Barnabé desentenderam-se por causa de João Marcos e, por fim, tomaram rumos separados e escolheram outros companheiros de ministério.

Uma coisa é as famílias passarem alguns dias juntas, quando se reúnem em datas especiais e isoladas anualmente, outra bem diferente é permanecerem juntas o resto do ano. Da mesma forma são os irmãos da igreja, que em cultos especiais ou quando são induzidos pelo pregador a dar um abraço no irmão ao lado, o fazem por mera formalidade, fazem mecanicamente sem esboçar nenhum sentimento.
Manter a união espiritual do povo de Deus é responsabilidade de cada crente com a ajuda do Espírito Santo, pois também temos nossas “brigas de família” e precisamos aprender a caminhar juntos em amor.
Nós passamos pelo mesmo nascimento espiritual, adoramos o mesmo Deus, proclamamos a mesma mensagem do evangelho, pregamos as mesmas Escrituras e estamos caminhando para a mesma cidade celestial. Porém, infelizmente, muitas vezes há mais divisão do que união entre nós.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton Figueiredo

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.