Nem tudo está perdido!

Jeremias 5: 30-31
Coisa espantosa e horrenda se anda fazenda na terra. Os profetas profetizam falsamente, e os sacerdotes dominam pelas mãos deles, e o meu povo assim o deseja; mas que fareis ao fim disto?”

Amados, ontem (15/09/2017) postei um artigo de autoria do Pr. Paulo Pontes, cujo conteúdo me deixou esperançoso acerca das igrejas tradicionais no Brasil. E, suspirei aliviadamente, por que pude constatar que mesmo que não tenha chama no pavio, ele ainda está fumegando. 

Sou de uma geração onde culto tinha um significado marcante na vida das pessoas. Sou de uma geração onde a Palavra de Deus era esperada ansiosamente pelos irmãos. Sou de uma geração onde a reverência dentro da igreja era algo que constrangia. Sou de uma geração onde os obreiros da Casa do Senhor, eram homens ou mulheres íntegros e honestos. Sou de uma geração onde a Igreja de Cristo cumpria cabalmente seu papel na sociedade. Sou de uma geração onde a liturgia do culto, e isso eu concordo, estava carregada de exageros, mas a intenção do adorador era se apresentar diante de Deus com um espírito quebrantado e um coração contrito.

Porém, como o sistema do mundo vive numa dinâmica constante, estou vivenciando (já a algum tempo) uma fase de transição dentro das igrejas. Transição que, como dizem os líderes das igrejas, é em nome do evangelho, e com isso, ao invés da igreja ser um agente para transformação do mundo, ela está assimilando os conceitos mundanos. E, quando eu digo que a igreja é um agente para transformação do mundo, não estou insinuando que a igreja deve assumir o governo do mundo para pregar o Evangelho de Jesus Cristo, mas que, o Evangelho de Jesus Cristo, que deveria ser pregado pelas Igrejas, é que vai transformar as pessoas do mundo. O que está faltando em muito crente é entender que não é a igreja quem vai estabelecer o Reino Milenial. Sendo assim, a igreja tem como alvo único neste mundo, pregar o Evangelho e fazer discípulos de Jesus Cristo.

Eu esperava afoitamente que essa atitude da CBN, partisse da Assembleia de Deus, mas que não fosse uma atitude isolada de alguns pastores, e sim que as Convenções das Assembleias de Deus abrissem os olhos para esse grave problema. Mas acontece que algumas convenções estão mais podres que o próprio mundo. Estão administrando em benefício próprio. Estão disputando cargos com tanta “lealdade” e “honestidade”, que deixam os políticos brasileiros na condição de aprendizes. Estão agindo como os crentes de Corinto, levando para a justiça comum assuntos inerentes a convenção.

Vale ressaltar que a Palavra de Deus, no texto utilizado para esse artigo, não está se referindo apenas aos líderes das igrejas. A corrupção não afetou somente a liderança ou aqueles que tem cargos ou funções nas igrejas. A “coisa” é muito mais grave do que se pode imaginar. O câncer da corrupção entrou através dos líderes e obreiros e já alcançou os membros, e isso nos leva a ver igrejas totalmente desvinculadas da Palavra de Deus. Voltaram-se completamente para o sistema do mundo.

“A cana trilhada não quebrará, nem apagará o pavio que fumega; com verdade trará justiça”
Graça a Deus, nem tudo está perdido! Deus sempre preservou para Si os remanescentes.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.
Erivelton Figueiredo

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.