Judas Iscariotes, tomado de remorsos, dá fim a própria vida.

Mateus 27: 4-5 / Atos 1: 18
Dizendo: Pequei, traindo sangue inocente. Eles, porém, disseram: Que nos importa? Isso é contigo. E ele, atirando para o templo as moedas de prata, retirou-se e foi-se enforcar.” “Ora, este adquiriu um campo com o galardão da iniquidade e, precipitando-se, rebentou pelo meio, e todas as suas entranhas se derramaram.”

O que pode levar um homem a tirar a sua própria vida? Inúmeros motivos têm sido dados para justificar o ato de se matar, mas parece que nenhum deles revela-se razoável. De tudo de polêmico que envolve a questão, a única coisa certa é que o suicídio é uma falência pessoal e social.
Pessoal: porque o indivíduo que o comete, na maioria dos casos, desistiu de viver, demonstrando-se inapto a enfrentar as situações cotidianas.
Social: porque seu ato provoca a repugnância na sociedade, em especial das pessoas que o cercam, deixando marcas indeléveis em face da sensação de impotência, bem como expõem as chagas da derrota da família, dos amigos, do grupo de convívio, incapazes de dar as condições para que aquela pessoa amada pudesse ter continuado a lutar.

A igreja atualmente precisa encarar esse assunto com a naturalidade com que ele é tratado na Bíblia. Precisamos quebrar o tabu sobre a atitude suicida a que incorre a pessoa desesperada. Tudo o que sabemos responder quando nos questionam do assunto é que o suicídio é um ato de covardia e todo suicida vai para o inferno! Esse tipo de reposta não ajuda ninguém a vencer esta tentação.

Paulo e Silas, após a milagrosa libertação da prisão veêm o carcereiro tentar dar cabo de sua vida. Isto é, um homem em estado de desespero e angústia, sob a influência de uma depressão e estresse profundo, decide se matar. Qual foi a reação de Paulo? Será que ele agiu como nós temos agido? Foi Paulo indiferente? Claro que não! Mas antes respondeu: “Não te faças nenhum mal, porque todos aqui estamos”. Paulo disse exatamente aquilo que o suicida precisava saber, ou seja, que ele não estava sozinho, mas que todos nós (igreja) estamos aqui. Que o amamos e que seja qual for o problema, a solidão não irá reinar, porque existem pessoas que se importam com ele e estão ao seu lado para ajudá-lo. Em outras palavras, Paulo simplesmente aplicou o que diz o mandamento de amar o seu próximo como a si mesmo.

Na atualidade as causas de depressão são inúmeras. Mas o principal motivo de depressão emocional é o individualismo exacerbado de nossa sociedade e o espírito competitivo. Criam-se tantas expectativas sobre o indivíduo, cuja maioria são impossíveis de serem cumpridas, que este se sente miserável é fracassado, tendente a perder a direção ou a razão para viver.

Os estudos psiquiátricos têm mostrado que o suicídio está intimamente ligado aos casos de depressão, podendo ser uma atitude decorrente do agravamento desta em um estágio avançado ou final.

O objetivo principal deste estudo, não é definirmos, biblicamente, o destino do suicida, mas o que estamos fazendo ou o que faremos, caso nos deparemos com essa situação em nossas igrejas. 

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Fonte: SUICÍDIO: Juliano Henrique Delphino

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

One thought on “Judas Iscariotes, tomado de remorsos, dá fim a própria vida.

  • 1 de maio de 2018 em 14:10
    Permalink

    A paz do Senhor irmão, vejo que não é tudo espiritual, na maioria das situações é do próprio homem. Pessoas se suicidam por se envolver em com outras ,por se viciar em drogas ou se embaraçar com finanças e se limitam em não buscar uma solução para seus poblemas , ou querem fazer alguém culpado pela sua decisão egoísta.Qto a igreja sabemos que não é bem assim que funciona e que seria uma hipocrisia não só minha mas tbem dos irmãos diante da realidade atual .mim mostre o que a igreja tem feito?pregamos fazemos campanha contra o suicídio?
    Nem sempre , meu irmão!
    Se um irmão some da igreja nem atras vão! É muitooo , serio esta questão mas pouco se faz , o que vemos e cristãos cheios de teologia e teorias prática mesmo muito poucos sao os que se preocupam.
    Em um presídio poucos vão , em uma biqueira olha la os que vão, num prostibulo ou até mesmo nos hospitais são poucos os que ali estão evangelizando e acompanhando a realidade em nossa volta meu irmão .
    TEM UM DITADO POPULAR QUE A COBRA SE MATA E PELA CABEÇA .E NÃO QUEBRANDO ELA.
    A fonte de suicídio está ai cabe a nos querer realmente agir como Paulo e Silas agiram em At.16.
    A paz do Senhor.
    Pb.Julio Cezar

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.