O caminho de Deus é de santidade.

Salmo 77: 13
O teu caminho, ó Deus, está no santuário. Que deus é tão grande como o nosso Deus?”

Uma das grandes dificuldades que o homem enfrenta consigo mesmo, reside no fato de que em vez de admitir a culpa, ele sempre quer justificar o erro. No que tange a Palavra de Deus, a justificativa para pecar tem base na argumentação de que a Bíblia deixa margem para dúbia interpretação, sendo assim, aquilo que uns veem como proibição na Bíblia, outros não interpretam desta forma.

Uma das maiores indagações dos jovens das igrejas é sobre o uso de brincos, anéis, pulseiras, piercings e tatuagens. A pergunta é sempre a mesma: “isso é pecado?”. As respostas são as mais diversificadas. Ninguém quer pôr a cara na linha de frente para ser esbofeteada, por isso dão respostas evasivas acerca dos padrões de santificação estabelecido por Deus. Nos cap. 19 e 20 de Levítico, o Senhor estabelece castigos para os comportamentos que desabonam Sua santidade, comportamentos que são denominados crimes, pela Bíblia. Ora, se a própria Palavra de Deus estabelece como crime tal prática, por que nos atreveríamos a discordar dela?

Existe algo que precisamos assimilar imediatamente e conservar em nós permanentemente: A santificação é um processo que, irremediavelmente, tem início internamente. Se, o seu início não se der em nosso coração, estamos fadados a degradação espiritual. Somos qualificados como santos, no ato imediato ao da salvação em Cristo Jesus, neste instante, o Senhor Deus nos “separa” para sermos dEle, deste momento em diante, Ele, veementemente, adverte os seus da seguinte forma: “Santificai-vos e sedes santos”.

E, é exatamente nesta questão, que muitos estão justificando a sua “não santificação”, por que, segundo eles, a Bíblia não trata do assunto com a clareza que deveria tratar. Dizem eles, que a Bíblia não ensina abertamente como se deve proceder para permanecer santo. Ora, quando o Senhor nos adverte para sermos santos, porque Ele é santo (Lv 11:44), Ele não está sugerindo que sejamos apenas seus imitadores, pois isso é impossível, mas o que Ele está dizendo e afirmando é que, sendo o Santo Deus, não vai admitir que fiquemos próximo a Ele sem estar na condição que Lhe apraz. O impuro, não somente não permanece na presença de Deus, como também nem, de longe, se aproxima dEle. Mais clareza que isso, só se desenhar.

A igreja, hoje, enfrenta uma situação, onde muitos “crentes”, estão negligenciando a santificação por que não entendem que os dois grandes mandamentos que Cristo anunciou, são uma síntese de toda a Palavra de Deus, pois, somente nos separaremos do mundo se amarmos a Deus acima de todas as coisas. Não há meio de nos santificarmos se, de fato, não amarmos o Senhor e o nosso próximo como a nós a mesmo.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.