Nadabe e Abiú e o fogo estranho

Levítico 10: 1

E os filhos de Arão, Nadabe e Abiú, tomaram cada um o seu incensário, e puseram neles fogo, e puseram incenso sobre ele, e trouxeram fogo estranho perante a face do SENHOR, o que lhes não ordenara.

“É algo muito sério ser um servo de Deus, e nosso serviço deve receber o poder do Espírito Santo e ser controlado por sua Palavra. Devemos servir a Deus “de modo agradável, com reverência e santo temor; porque o nosso Deus é fogo consumidor”” (W.W.Wiersbe)

No episódio bíblico ocorrido do monte Moriá, vemos explicitamente que a evidência de um verdadeiro culto está fundamentada em três elementos – fogo, lenha e cordeiro. Na falta de qualquer um destes elementos, o culto estava incompleto, e, por isso, não seria recebido por YHWH.

Dos elementos podemos interpretar que o fogo aponta para imprescindível presença e poder do Espírito Santo; a lenha, simboliza o homem em condições adequadas dos verdadeiros adoradores; e, o cordeiro aponta para a razão do culto, que é Cristo.

Não obstante a toda instrução que receberam, pelo texto do cap. 10 de Levítico, inferimos que, teologicamente, todo o culto de Nadabe e Abiú estava errado, e como se não bastasse a insolência de ambos, os versículos 9 e 10 deste mesmo capítulo, nos transmite uma sensação de que os dois estavam bêbados, pois, caso contrário, tal advertência não teria lugar numa situação deste porte.

O fogo, depois do cordeiro, é o elemento essencial do culto. A sua ação na madeira, devidamente qualificada para a queima, proporciona a condição ideal para que o cordeiro seja assado no tempo proporcional a temperatura produzida pelas chamas. No culto levítico o fogo tinha que ser tirado do altar do sacrifício, pois o mesmo fogo que faz a expiação é o mesmo que leva a adoração. O mesmo Espírito Santo que nos convenceu do pecado e nos conduziu a Jesus, é o mesmo que nos capacita para adorar a Deus. TEM QUE SER ELE! E qualquer adoração que não esteja em perfeita coerência com as doutrinas bíblicas É FOGO ESTRANHO.

A lenha do culto tem que estar totalmente em condições de produzir CHAMAS e brasas e, não apenas fumacinhas, e para que isto ocorra é necessário que ela esteja totalmente seca. Apontando para o homem como sendo a lenha do culto, isso quer dizer que aquele que não morreu com Cristo na cruz, ainda não está em condições de ser queimado, pois não está totalmente “seco” e, com isso, ainda existe neste homem a seiva de sua velha natureza que impede o fogo de atuar com eficácia. O que vemos hoje em dia são muitos tições apagados insistindo em dizer que está produzindo chamas. Da lenha “verde” nem carvão se consegue fazer, o máximo que ela vira, depois de queimada, é cinzas.

Embora o fogo e a lenha sejam necessários para o culto, seria um desperdício preparar o altar sem não houver o cordeiro. Fogo e lenha juntos, fundem-se em “um único” elemento com propriedades indispensáveis para, junto com o cordeiro, produzirem um culto agradável a Deus. A nossa adoração tem origem no Espírito Santo, ela não é iniciativa do próprio homem.

O FOGO necessita de LENHA para manter-se aceso. A LENHA necessita do FOGO para queima-la. O CORDEIRO encontra nos dois, unificados, a condição perfeita que propicia um VERDADEIRO CULTO.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

3 thoughts on “Nadabe e Abiú e o fogo estranho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.