Humilhar-se debaixo da potente mão de Deus.

I Pedro 5: 6
Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que, a seu tempo, vos exalte

Humilhar debaixo da mão de Deus tem o sentido de alguém que se dispõe a andar em constante obediência ao Senhor. Independente da classe social, do nível cultural ou da função que exerce na igreja, aquele que se humilha debaixo da potente mão de Deus, reconhece que, apesar de toda sua capacidade, ainda assim, é totalmente dependente de Deus. Tal pessoa admite, e não somente “da boca para fora”, que o sustento financeiro, o conhecimento e a oportunidade de trabalhar em prol do Reino do Céus provém única e exclusivamente da infinita GRAÇA de DEUS.

Uma das grandes dificuldades que muitos crentes enfrentam, é a de assimilar que determinados processos pelos quais passamos para alcançar o padrão de Deus, envolvem exclusivamente uma ação de nossa parte. Pedro ordena que aquele que deseja ser abençoado por Deus, deve se colocar numa posição de obediência. A palavra de Deus não diz que Deus vai nos humilhar para que sejamos abençoados, antes, ela diz que para sermos abençoados NÓS É QUE DEVEMOS ESPONTANEAMENTE NOS HUMILHAR. É uma ação pessoal e intransferível.

Acontece que para nos submetermos a essa posição, dependemos da nossa fé em Deus. Aquele que não tem fé, não se submete a obedecer. E, é interessante observar que quando necessitamos de algo, a primeira coisa que fazemos é orar, contudo, nossa oração é para que Deus faça a nossa vontade. Nós não perguntamos ao Pai Celeste se é propósito dEle nos dar o que pedimos, muito pelo contrário, exigimos que seja feita a NOSSA vontade aqui na terra. Em muitas ocasiões de nossa vida colocamos Deus como nosso serviçal, o gênio da lâmpada que satisfaz desejos.

A Bíblia Sagrada mostra Jesus como o supremo exemplo de humilhação. Paulo ensinando os crentes de Filipos sobre humildade, escreveu que Jesus “sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus.” Jesus não precisava provar que era Deus e, assumindo a forma de homem, sabia que seu estado de humilhação não ofendia a divindade. Por que não o imitamos?

Afinal, não é o lugar que, às vezes ocupamos na tribuna da igreja, não é a nossa função ministerial na igreja e, muito menos, o tempo de crente que garantem as bênçãos oriundas do Senhor. A recompensa que Deus tem para os seus está condicionada a nossa posição diante dEle.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.