É necessário ser cheio do Espírito Santo para vencer a força do Inimigo.

Atos 13: 9-11
Todavia, Saulo, que também se chama Paulo, cheio do Espírito Santo e fixando os olhos nele, disse: Ó filho do diabo, cheio de todo o engano e de toda a malícia, inimigo de toda a justiça, não cessarás de perturbar os retos caminhos do Senhor? Eis aí, pois, agora, contra ti a mão do Senhor, e ficarás cego, sem ver o sol por algum tempo. No mesmo instante, a escuridão e as trevas caíram sobre ele, e, andando à roda, buscava a quem o guiasse pela mão.”

Por causa do cumprimento das profecias em Isaías – “Por isso o direito se tornou atrás, e a justiça se pôs de longe; porque a verdade anda tropeçando pelas ruas, e a equidade não pode entrar”, Paulo, se fosse nosso contemporâneo, estaria em “maus lençóis”. Atualmente, muitos “atalaias” estão calados nos seus postos com medo das consequências que suas palavras causarão. Muito pouco, sobre a verdade, se pode falar hoje em dia sem que se corra o risco de processado por algum tipo de crime. Se Paulo vivesse em nossos dias, provavelmente seria acusado de “incrédulofobia”, “pecadofobia” e “ímpiofobia”.

Outro dia, ouvindo a discurso de um jovem pregador no culto em minha igreja, fiquei atento para ver quantas vezes ele pronunciaria o nome de Jesus e, em 40 minutos de discurso, o nome de Jesus não foi pronunciado nem uma vez sequer. foi só aquele negócio de “receba unção”, “receba poder”, “encha o teu vaso com óleo”, etc., etc. É o tipo de discurso que não importuna ninguém, limita-se a falar superficialmente e num tom de sarcasmo sobre alguns costumes, mas, sempre tendo o cuidado para não ferir o ego de ninguém e o resto é só benção – Deus vai fazer isso, fazer aquilo, vai bradar, o inferno vai estremecer, o diabo vai correr, o cativeiro vai ser mudado, os problemas solucionados desde que a pessoa permaneça na “brecha”. É por isso que o diabo está satisfeito com estes crentes “pregadores”, pois eles estão enganando as pessoas com um discurso fraudulento, estão impedindo as pessoas de chegarem ao conhecimento da verdade.

Eu não duvido que a grande maioria dos crentes sejam precavidos e estejam em constante vigilância, porém, o que nos faz, em certas ocasiões, ser derrotados nas batalhas espirituais é o fato de estarmos vigiando o “inimigo” errado. Sim! Algumas vezes estamos esperando o perigo vir de uma direção e ele vem de outra, ou, pior ainda, esperamos que ele venha dos que são declaradamente inimigos, enquanto que, algumas vezes, o inimigo está do nosso lado, “metendo a mão” junto conosco no mesmo prato e frequentando o mesmo culto.

O falso profeta e enganador que estava fazendo oposição a Paulo, era um judeu, e, algo que jamais se podia esperar era que um judeu praticasse esse tipo de atividade. Isso era o tipo de atitude que se esperava de qualquer gentio, pagão ou ímpio, mas de um judeu o fato era inusitado, mas, nem por isso, Paulo deixou de repreendê-lo com veemência.

Algumas vezes ficamos acanhados de repreender a atitude de algum irmão dentro da igreja, por se tratar de um irmão, mas não nos esqueçamos de que o diabo tenta quem ele quer e, que tal irmão pode, eu disse pode, estar sendo instrumento do diabo para agir com engano dentro da igreja de Cristo.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.