Corações purificados da má consciência.

Hebreus 10: 19-22
Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no Santuário, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne, e tendo um grande sacerdote sobre a casa de Deus, cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé; tendo o coração purificado da má consciência e o corpo lavado com água limpa,”

A ousadia que o autor propõe neste texto, não tem conotação de atrevimento, ele está dizendo que todo aquele que “participou” da morte e ressurreição de Cristo, crê que o sacrifício de Jesus é suficientemente capaz de proporcionar coragem e intrepidez para entrar e permanecer ante a face do Senhor. Assim como na antiga aliança, nenhuma oferta podia chegar diante de Deus sem que antes tivesse passado pelo altar do sacrifício, hoje, não há quem possa se declarar adorador sem que, antes, tenha participado da cruz com Cristo.

O altar do sacrifício era o divisor de águas e não a porta do pátio. Pode ser que alguém tenha entrado por aquela porta e saído sem ter oferecido algum sacrifício, mas, do momento em diante em que o ofertante entregava nas mãos do sacerdote sua oferta, espontaneamente, estava declarando que tinha aceitado o convite para se reconciliar com Deus. Muitas pessoas tiveram um encontro pessoal com Cristo, contudo, deliberadamente, rejeitaram o Seu sacrifício “E o jovem, ouvindo esta palavra, retirou-se triste, porque possuía muitas propriedades”.

Todas as questões relacionadas ao pecado tinham que serem resolvidas no altar. O fogo ardendo, tinha que consumir toda a oferta. A oferta tinha que ser reduzida a cinzas, pois, somente assim estava declarado que a questão estava, momentaneamente, resolvida. Somente após este primeiro passo é que o ritual podia dar continuidade.

É muito comum ouvirmos alguns pregadores dizerem que o adorador tem livre acesso a presença de Deus. Sim! Sem dúvidas, temos mesmo, porém esse “livre acesso” é determinado pelo entendimento que temos da obra redentora de Cristo. O caminho está aberto sim! Não tenho duvidas disso, porém, para acessarmos a esse caminho a “porta” de entrada é a Cruz de Cristo. Repito! É impossível que alguém chegue a Deus sem ter passado pela Cruz de Cristo. E, qualquer que entra por outro lugar que não seja a “Porta”, este não permanece.

O nosso acesso à presença do Deus Santo não se deve ao fato de termos ficados encantados com a obra que Cristo realizou por nós; o nosso acesso a presença do Deus Santo não está fundamentada simplesmente no amor que Ele tem por nós. A garantia de acesso a presença do Deus Santo se deve pelo fato de que sobre nós está o sangue do Seu Cordeiro e, desta forma, estamos justificados, purificados e santificados, ou seja, aptos a permanecer diante dEle.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.