Deus é misericordioso.

Salmos 103:8
Misericordioso e piedoso é o Senhor; longânimo e grande em benignidade”.

Neste salmo (103), encontramos a misericórdia de Deus revelada de uma forma extraordinária. Ele é um hino de louvor ao Senhor por causa da abundante misericórdia de Deus para com o seu povo – Israel e a Igreja de Cristo. Tanto Israel como a Igreja de Cristo se veem “constrangidos” a exaltar e glorificar o nome do Senhor que, por causa de Sua Santidade não pode tolerar o pecado diante de Si, porém, por Sua infinita bondade perdoa os pecados do Seu povo. Esse salmo retrata fielmente a nossa mordomia com as obras misericordiosas, pois o fiel jamais deve se esquecer do que Deus, misericordiosamente, fez por ele.

É tremendo quando o Espírito Santo de Deus nos faz “enxergar” o que Deus está mostrando há tempos. O que Deus sempre esperou do homem, é que este retribuísse, ainda que fosse o mínimo, o que sempre recebeu graciosamente de Deus. Mais especificamente, vamos apontar para as obras de misericórdias, pois é tema desta semana. Deus sempre desejou que o homem praticasse as obras de misericórdias como em retribuição às misericórdias que ele recebe, porém, Deus não precisa da misericórdia do homem, aliás, Ele não precisa de misericórdia nenhuma. O desejo do Senhor é que o homem se sentido constrangido a retribuir de alguma forma o que ele tem recebido de Deus, que o faça retribuindo ao seu próximo.

O crente fiel verdadeiro vive uma vida, onde as práticas piedosas não são para garantir a salvação, muito pelo contrário, suas obras de misericórdia são em virtude de uma vida devotada às causas nobres do Reino de Deus. O ato de estender as mãos ao próximo, não tem outro sentido senão o de estar retribuindo o que de Deus recebeu abundantemente.

É nesse sentido que o salmista escreve esse salmo (103). É um convite a Israel para que tenha sempre em memória todos os benefícios que Deus havia concedido. Da saída do Egito até ao estabelecimento na terra prometida, Deus guiou, preservou, cuidou e sustentou em todo o tempo, até nos momentos de rebeldia do povo. E, o salmo, tem para nós nos dia de hoje, a mesma relevância que teve no passado. Devemos manter em memória tudo quanto Deus fez, tem feito e ainda fará por nós.

O que temos bem como o que somos é pela exclusiva e infinita misericórdia de Deus e, apesar do que somos, Deus continua sendo misericordioso. Por que então, não retribuímos com o próximo a misericórdia que temos recebido?

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.