O obreiro tem de valorizar a vocação de Deus.

Hebreus 5: 4
E ninguém toma para si esta honra, senão o que é chamado por Deus, como Arão”.

Apontando para o assunto do qual estamos tratando neste trimestre que é “O governo Divino em mãos humanas”, e que nesta semana o tema principal é a degradação espiritual na vida dos que lideram, temos a nítida impressão de que o versículo acima, provavelmente, foi apagado da Bíblia de muitos que estão liderando algumas igrejas atualmente. O exercício ministerial, mais especificamente o de pastor, não é algo que pode ser exercido por qualquer um. Em lugar nenhum da história vemos Deus eleger alguém para governar o seu povo que não tenha, primeiro, um estreito relacionamento com Ele.

Sendo chamado diretamente por Deus, o exercício ministerial é uma carga impossível de ser transportada sozinha. Se o pastor, arrogantemente, supõe que pode suportar o peso da responsabilidade, sem duvida alguma, em algum momento da jornada, fracassará. No ultimo ano, vimos alguns valentes tombarem por que foram sufocados pelo peso da responsabilidade, não por que estavam em pecado (é o que acreditamos), mas por que ser representante deste imenso povo de Deus não é uma tarefa simples. Ser pastor não é estar sentado na tribuna, em um “trono”, avaliando o comportamento da igreja. Ainda que o pastor seja uma pessoa ilustre, honrada e digna da sua função, nada poderá realizar se sobre ele não houver a unção de Deus. Administrar uma igreja não é o mesmo que ser mordomo sobre o povo de Deus.

Busca satisfazer seu próprio desejo aquele que se isola; ele se insurge contra toda sabedoria

Talvez esse versículo seja a última lâmpada de advertência que o Senhor acende a todo aquele que tem a tendência de querer resolver todas as coisas por si mesmo. Não estamos falando, aqui, daqueles momentos em que queremos estar sozinhos, neste caso, o isolamento é algo momentâneo – passageiro, é algo que todos nós precisamos em algum momento de nossa existência. A inferência, neste caso, é de alguém que quer se isolar até do próprio Senhor, ou seja, nem o próprio Deus pode auxiliá-lo nos momentos de aflição.

Jamais devemos esquecer que fomos chamados e vocacionados pelo Senhor a fim de executarmos uma obra que nos foi confiada. Nunca nos esqueçamos de que o Senhor nunca nos prometeu uma vida sem percalços, a promessa é a de que sempre estaria conosco. Lembremo-nos sempre de que foi o Senhor quem nos chamou a entrar debaixo do jugo dEle. Então, se temos algo em que confiar é que em qualquer momento e em qualquer circunstância, se estivermos debaixo do jugo do Senhor, todas as vezes que olharmos para o lado Ele estará ali. Pode ser que em alguma situação esse jugo esteja demasiadamente pesado e, pode ser que tenhamos que andar com dificuldade ou até mesmo encurvados, mas se olharmos para o lado, Jesus estará ali.

Podes tu crer nisto?

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.