Os líderes têm de viver o ideal da Palavra.

Levítico 21: 6-7
Santos serão a seu Deus, e não profanarão o nome do seu Deus, porque oferecem as ofertas queimadas do Senhor, e o pão do seu Deus; portanto serão santos. Não tomarão mulher prostituta ou desonrada, nem tomarão mulher repudiada de seu marido; pois santo é a seu Deus”.

Seria cômico se não fosse trágico o comportamento de certos crentes naquilo que aponta para a santidade. O pecado, nos dias atuais, não é mais visto como aquilo que a Bíblia determina como tal, pecado é aquilo que a pessoa julga conveniente a si. A definição do que é o pecado tomou outro sentido e, agora, pecado não é o que afronta ou aborrece a Deus, mas tão somente aquilo que conflita com “nossos” conceitos sobre santidade.

Dentro do meu conceito, vejo a hipocrisia como um dos principais sintomas da apostasia. E, a hipocrisia no meio evangélico atingiu um nível alarmante, a ponto de afetar até a liderança das igrejas. É incrivelmente alto o numero de pessoas dentro de uma igreja que se incomodam com um “cisco” nos olhos do próximo, enquanto que os seus estão completamente ofuscados pelo pecado. As pessoas estão demasiadamente preocupadas com a salvação alheia e estão negligenciando com a própria salvação. Por isso, é que todos os que vivem dissimuladamente uma vida cristã se não se corrigirem a tempo, tendem a se encaminhar para a apostasia. Viver uma coisa que não é, mesmo que seja somente dentro da igreja, incorre no perigo de se afastar de Deus, pois o medo de assumir a verdadeira natureza traz graves consequências à nossa fé.

Um grande problema que enfrentamos atualmente é o relativismo da verdade. Cada um está construindo sua ”verdade” em detrimento às verdades bíblicas. O que importa, hoje em dia, não é o que está escrito na Bíblia, mas o conceito que foi criado sobre o que está escrito. Sendo assim, Deus exige que sejamos santos, mas quem estabelece o padrão de santidade sou eu, é você, somos nós. Mas, o Senhor diz claramente para ser santo como Ele o é. Evidentemente o hipócrita, neste caso dirá: “ninguém pode ser santo como Deus o é”. Por um lado o hipócrita tem razão, ninguém, realmente pode alcançar isso, mas acontece, que ao exigir a santidade dos que O servem, Deus está aplicando o termo “santo” no sentido de estar enfaticamente separado. O que é santo, é santo; o que é profano, é profano, as duas características não se misturam; não se confundem; não há como manter uma convivência “pacífica” ou estar conformado uma com a outra.

“Ter que viver o ideal da Palavra” é o parâmetro exigido por Deus aos que são eleitos para estar a frente do Seu povo, contudo, por estar escrito que o homem não alcançará a perfeição neste mundo, ninguém está se esforçando para ser perfeito. O que é corrupto não busca a incorruptibilidade, mas o Senhor adverte com veemência – “Convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e que isto que é mortal se revista da imortalidade”.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.