Em tudo temos de agir com pureza e equidade.

Filipenses 4: 5
 “Seja a vossa equidade notória a todos os homens. Perto está o Senhor”.

Com amigo desse tipo, quem precisa de inimigo?

Esse dito popular bem se encaixa com o comportamento de Davi em relação a Urias. A atitude de Davi, no que diz respeito a Urias, foi mais perversa que a forma como os inimigos agiam entre si no passado. Digo mais perversa por causa da relação que um tinha com o outro – os inimigos, eram inimigos e ponto; se odiavam e qualquer coisa que intentassem contra o outro, o faziam por causa ódio que alimentavam um pelo outro. Mas, e Davi? Davi tinha Urias como amigo, não era apenas um soldado ou compatriota, eram amigos. Nenhum rei dá um banquete, senão para um amigo.

Equivocadamente muitos crentes atribuem como pecado somente as práticas que transgridam o Decálogo de Deus. Isso é um erro que tem de ser corrigido, pois, pecado é toda e qualquer atitude que transgrida qualquer orientação do Senhor, que encontramos na Sagrada Escritura. Mas, muito mais do que somente transgredir ordens, qualquer ofensa ao caráter de Deus é visto como pecado. Quando o Senhor Jesus sintetizou toda a lei de Deus em apenas dois mandamentos, Ele queria que entendêssemos que o principio que rege os dois mandamentos é um só – ninguém pode dizer que observa um dos mandamentos sem que, obrigatoriamente, observe o outro, ou seja, ninguém pode dizer que ama a Deus e não amar o seu próximo ou, amar o próximo e não amar a Deus. Como Davi podia dizer que amava a Deus procedendo de maneira inescrupulosa com Urias?

O princípio divino para equidade não é o de que todos os homens, independente de credo ou etnia, são iguais diante de Deus, mas que independente da raça ou credo, todos os que perseverarem na fé até o fim, receberão do justo Juiz a mesma sentença. Por isso, eu fico espantado com as discussões que envolvem as teologias de Armínio e Calvino. Tem muito arminianista professo que vive conforme a teologia dos calvinistas e vice-versa. As pessoas tomam partido de um determinado grupo sem ter o mínimo conhecimento do que cada um ensina, se posicionaram de um lado só por que o “fulano” é calvinista ou arminianista. O problema é que as diferenças teológicas dos dois seguimentos embrenharam-se pelo campo pessoal.

Será que, quando o Senhor Jesus disse que ia nos preparar lugar, estava se referindo a essa situação – arminianista e calvinistas não conviverem pacificamente e, por causa disso, no Céu haverá um ambiente exclusivo para cada grupo? Entendo que, independente do que naquilo cada grupo crê, se aqueles que são partidários de um ou de outro, perseverarem na fé em Cristo Jesus, receberão das mãos do próprio Mestre Jesus a recompensa que está reservada.

Se devemos manifestar nosso senso de justiça com todos os homens, quanto mais notável seja esse senso entre os domésticos da fé. A menos que exista alguém que seja detentor da verdade absoluta, devemos respeitar o direito das pessoas de praticarem a sua fé conforme o conceito que estabeleceram. Claro que estamos falando aqui, das diferenças de interpretações das doutrinas bíblicas conceituadas por Jacob Armínio e João Calvino. Qual dos dois está certo? E, se nenhum dos dois estiver certo?

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.