As Escrituras do AT fazem menção das bênçãos prometidas aos gentios.

Gênesis 12: 3 / Isaías 11: 10
 “E abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra” “E acontecerá, naquele dia, que as nações perguntarão pela raiz de Jessé, posta por pendão dos povos, e o lugar do seu repouso será glorioso”.

O conceito de igreja é muito mais amplo do que uma congregação local e é muito mais extenso do que uma estrutura organizacional e uma instituição. Usa-se o “retrato” da igreja local como auxílio na visualização concreta do conceito, porém, indubitavelmente devemos olhar além dos aspectos institucionais, formais e estruturais. Toda a estrutura e organização elaborada podem ser benéficas, mas deve sempre ser associada ao propósito da igreja, missão que parte de sua verdadeira natureza. A Bíblia não estabelece um sistema organizacional para a igreja, nem contraria a sua elaboração. O que ela apresenta é uma missão a ser cumprida.

Uma área da teologia cristã frequentemente desprezada ou tratada com certa negligencia é a doutrina da Igreja. Tal descuido deve-se, em parte, à suposição comum de que algumas áreas do estudo teológico são mais essenciais para a salvação e a vida cristã, como, por exemplo, as doutrinas de Cristo e da salvação, ao passo que outras são realmente mais interessantes, como as manifestações do Espírito Santo ou a doutrina das últimas coisas. A Igreja, por outro lado, é assunto que muitos cristãos consideram conhecido. Afinal de contas, é um assunto que faz parte regular de sua vida. Que proveito haveria num estudo extensivo de algo tão comum e rotineiro na experiência da maioria dos crentes?

Adquirir melhor conhecimento teológico sobre a Igreja não é somente um exercício acadêmico digno de nossa atenção. Torna-se essencial para obtermos uma perspectiva correta da teologia que deve ser aplicada à vida diária.

Ainda que tenhamos uma definição de Igreja com base nos termos bíblicos primários, como ekklêsia (um grupo de cidadãos reunidos visando um propósito específico) e kuriakos (um grupo que pertence ao Senhor). A natureza da Igreja, no entanto, é por demais extensiva para ser englobada em poucas e simples definições. A Bíblia emprega numerosas descrições metafóricas da Igreja, sendo que cada uma delas retrata um aspecto diferente do que ela é e do que é chamada a fazer.

O propósito do Senhor quando instituiu a igreja, não era que ela apenas existisse como finalidade em si mesma, para se tornar, por exemplo, simplesmente mais uma unidade social formada por membros de mentalidade semelhante. Pelo contrário, a Igreja é uma comunidade formada por Cristo em benefício do mundo. Cristo entregou-se em favor da Igreja, e então a revestiu com o poder do dom do Espírito Santo a fim de que ela pudesse cumprir o plano e propósito de Deus.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Doutrina da Igreja – Pr. Carlos Oliveira, Alfa Cursos Teológicos Livres
– Teologia Sistemática – Stanley Horton

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.