Devemos apresentar as nossas petições diante de Deus.

Filipenses 4: 6-7
 “Não estejais inquietos por coisa alguma; antes, as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus, pela oração e súplicas, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus”.

Inconscientemente atribuímos a Deus comportamentos que são próprios da natureza humana. Por exemplo, por sabermos que Deus é Onisciente, julgamos, pela lógica, que não seja necessário expormos as nossa necessidades diante dEle. Ora, a própria Bíblia diz e assegura que Ele sabe e conhece tudo, até mesmo as palavras que ainda não foram pronunciadas e, muito melhor do que isso, a Palavra de Deus nos garante que o Espírito Santo intercede por nós com “gemidos inexprimíveis”. Diante destas verdades uma pergunta não pode calar: É preciso orar?

A intercessão é uma das formas de orar. Oração não é uma coisa distinta da intercessão, esta é uma das maneiras como devemos nos dirigir a Deus em oração. Intercessão é orar pelos outros, mas não é apenas se lembrar de que a pessoa existe. Um intercessor é alguém que toma o lugar ou suplica pelo caso de outro. E, para que possamos compreender de forma plena o que é a intercessão, devemos estar familiarizados com o ministério sacerdotal do Antigo Testamento. A responsabilidade do sacerdote, no sacerdócio levítico, era estar de pé perante e entre. Ele estava de pé perante Deus para ministrar a Ele com sacrifícios e ofertas. Os sacerdotes também estavam de pé entre um Deus justo e o homem pecador reunindo-os no lugar do sacrifício de sangue.

O nosso exemplo bíblico de intercessor é o Senhor Jesus. Já no Antigo Testamento o profeta Isaías, revela que o Pai Celestial já tinha como propósito enviar o Filho, Jesus Cristo, para servir de intercessor entre Ele, o Pai misericordioso, e o homem pecador – “E viu que ninguém havia e maravilhou-se de que não houvesse um intercessor; pelo que o seu próprio braço lhe trouxe a salvação, e a sua própria justiça o susteve”. Jesus está de pé perante Deus, entre Ele e os homens pecadores assim como os sacerdotes da antiga aliança fizeram. Paulo escrevendo aos crentes de Roma conforta-os com as seguintes palavras – “Quem os condenará? Foi Cristo Jesus que morreu; e mais, que ressuscitou e está à direita de Deus, e também intercede por nós”.

Jesus foi um intercessor enquanto Ele esteve aqui na terra. Ele orou por aqueles que estavam enfermos e possuídos por demônios. Ele orou por Seus discípulos. Ele até mesmo orou por nós, nos dias de hoje, quando Ele intercedeu por todos aqueles que creriam Nele. Jesus continuou Seu ministério de intercessão depois de Sua morte e ressurreição quando Ele retornou ao Céu. Ele serve agora como nosso intercessor no Céu.

Como intercessores devemos orar semelhante à função sacerdotal do Antigo Testamento e o modelo de Jesus no Novo Testamento, nós estamos de pé perante Deus e entre um Deus justo e o homem pecador. Para ser eficaz em estar de pé “entre” os homens nós devemos estar de pé primeiro “perante” Deus para desenvolver a intimidade necessária para cumprir este papel.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Oração Intercessória – www.harvestime.org

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.