Usando a Palavra de Deus para resistir às ciladas do Diabo.

Mateus 4: 1-10
 “Então, foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo. E, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome; E, chegando-se a ele o tentador, disse: Se tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras se tornem em pães. Ele, porém, respondendo, disse: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus. Então o diabo o transportou à Cidade Santa, e colocou-o sobre o pináculo do templo, e disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, lança-te daqui abaixo; porque está escrito: Aos seus anjos dará ordens a teu respeito, e tomar-te-ão nas mãos, para que nunca tropeces em alguma pedra. Disse-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor, teu Deus. Novamente, o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles. E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares. Então, disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a ele servirás”.

A primeira prova que o diabo faz com um crente ao investir contra ele é a do quanto o crente conhece a Palavra de Deus. Foi assim com Eva, foi assim com Jesus e é assim com qualquer crente. Qualquer pessoa que se torna alvo do diabo, provavelmente, antes de ser tentada passa por este “teste” para que ele (o diabo) esteja ciente com que intensidade será a tentação. Quando o crente é “fraquinho” de Bíblia, se torna uma presa fácil nas mãos do diabo, ou seja, quanto menos se conhece a Bíblia mais fácil fica ser enganado por ensinos heréticos – “Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo vento de doutrina”.

A Bíblia Sagrada afirma categoricamente que Jesus teve fome após ter jejuado 40 dias. Isso nos leva a pensar que, indiscutivelmente, Ele tenha bebida água. Muito provavelmente, seu jejum foi apenas o de abstenção de alimentos. Isso se explica pela razão de que o fato de não beber água por quarenta dias requer um milagre e, uma vez que Jesus teve que enfrentar a tentação, como representante do homem, Ele não poderia empregar nenhum outro meio para vencê-la além do de um homem cheio do Espírito Santo.

O crente deve conhecer profundamente a Palavra de Deus e precaver-se daqueles que pervertem as Escrituras a fim de satisfazerem os desejos da natureza humana pecaminosa. O apóstolo Pedro fala daqueles que torcem as Escrituras, para sua própria perdição – “Tendo uma boa consciência, para que, naquilo em que falam mal de vós, como de malfeitores, fiquem confundidos os que blasfemam do vosso bom procedimento em Cristo”.

Todas as respostas que Jesus deu a Satanás tinham fundamentos na Sagrada Escritura, porque Satanás empregou a Palavra de Deus com a finalidade de tentar Cristo a pecar. Algumas vezes somos interpelados pelos descrentes que usando as Escrituras tentam nos persuadir a fazer algo que sabemos que está errado ou que é impróprio. Alguns textos bíblicos, retirados do seu contexto, ou não comparados com outros trechos da Palavra de Deus, podem até mesmo dar a aparência de justificar o comportamento pecaminoso – “Todas as coisas me são lícitas”.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Pentecostal

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.