Despertando a vida de louvor.

Salmo 57: 8
 “Desperta, glória minha! Desperta, alaúde e harpa! Eu mesmo despertarei ao romper da alva”.

Desde Adão o homem sempre soube da existência de Deus. Querendo ou não, o “folego de vida” assoprado por Deus no primeiro ser humano (Adão) imprimiu nele a consciência de que havia um Deus. Quando alguém nega a existência de Deus, tal pessoa age desta forma em virtude de ter recusado a verdade bíblica, pois, aquele que rejeita a veracidade da Palavra de Deus está rejeitando o próprio Deus. Entenda que estamos falando do fato de aceitar a verdade bíblica para aplicação em sua vida e, não na questão de crer simplesmente pelo raciocínio que é uma verdade. Ninguém pode chegar ao conhecimento de Deus se Ele, a Si mesmo, não se revelar.

Quem diz que não existe um Deus, faz tal declaração sem nenhum fundamento, pois para se provar que Deus não existe seria preciso um ser, tal como Deus, que “ocupa” todos os espaços de toda a Sua criação e, com evidências físicas declarar que Deus não existe, porém, tal ser não existe e Deus não pode negar a Si mesmo. Por outro lado, aqueles que acreditam na existência de Deus não precisam provar tal fato, pois toda a criação faz uníssona e unanime declaração de que há um Deus. A Bíblia em momento algum tenta “desesperadamente” provar a existência de Deus, ela, sendo a própria Palavra de Deus, trata deste assunto como um fato inquestionável.

Davi, na grande maioria dos salmos que escreveu, retrata a vida dos que creem firmemente em Deus, pondo nEle toda a confiança e esperança e, de uma forma muito contundente Davi expõe com muita clareza as características daqueles que confiam no Senhor.

Davi neste salmo (57) fala de como é a vida de um crente avivado. A vida do crente avivado, ao contrário do que muitos julgam, não é uma vida monótona e alienada do mundo. O crente avivado entende que a vida não se resume nas coisas que se tem, não são os bens materiais que o torna próspero, mas a certeza de que todas as necessidades são supridas, por Deus, na medida exata. A vida do crente avivado é uma vida de oração, ele não precisa de motivos para orar, antes, ele ora motivado pela consciência da realidade da condição espiritual humana.

O crente avivado não precisa ser impulsionado por acontecimentos para louvar, bendizer e exaltar o seu Deus, ou seja, não são as vitórias alcançadas que fazem com que o crente reaja louvando e bendizendo a Deus, pelo contrário, o seu louvor e adoração a Deus são pela certeza das conquistas que virão.

Se estamos orando, crendo e louvando ao Senhor, não devemos ter dificuldade de exaltar seu nome em tudo o que dizemos, fazemos e experimentamos. Devemos fazer tudo para a glória de Deus – “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para a glória de Deus”, e se “tudo” inclui padecer algumas injúrias, perseguições e problemas, então que o Senhor seja exaltado! A oração, o louvor e o desejo de que Deus seja exaltado são elementos que transformam qualquer circunstancia difícil em vida prospera para a glória de Deus.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Comentário Bíblico Expositivo do Velho Testamento – Warren W. Wiersbe

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.