Satanás e o testemunho de Deus a respeito de Jó.

Jó 1: 7-8
 “Então, o Senhor disse a Satanás: De onde vens? E Satanás respondeu ao Senhor e disse: De rodear a terra e passear por ela. E disse o Senhor a Satanás: Observaste tu a meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem sincero, e reto, e temente a Deus, e desviando-se do mal”.

Alguns teólogos e comentaristas bíblicos aderiram ao uso do termo “disputa” se referindo ao impasse produzido pelo diálogo entre Deus e Satanás. O termo ressoa em nossos ouvidos com um sentido um tanto quanto estranho, por que uma “disputa” nos remete ao pensamento de que houve uma “aposta” entre Deus e Satanás acerca da fé de Jó. Satanás apostava na sua fraqueza e consequente rebelião e o nosso Deus “apostava” na convicção e perseverança de Jó.

Na verdade o que foi produzido, em virtude deste diálogo, foi uma concessão a Satanás por parte de Deus em realizar algo que o nosso Senhor pela Sua Onisciência já tinha conhecimento prévio. Deus não esperava que Jó provasse nada para Ele, antes, o que nosso Deus estava realizando através deste acontecimento era provar para Satanás que, embora o ser humano esteja numa condição de depravação total, porém, os que mantêm um estreito relacionamento com o Senhor permanecerão irredutíveis em sua fé diante de qualquer circunstância.

Satanás sendo um ser espiritual real e não somente mitológico, tem (acho que em maior proporção) plena convicção de que Deus é supremo sobre todo o universo; Satanás reconhece a soberania do nosso Deus; Satanás não se atreve a desafiar o nosso Deus, pois, sabe perfeitamente que de Deus emana todo o poder e, em vista disso, ele seria reduzido a pó instantaneamente; Satanás está convencido de que é um derrotado, todavia, ele nunca desiste de atingir Deus através do homem. Podemos ver isso claramente na história de Jó. Satanás vai usar todas as oportunidades para tentar denegrir o caráter de Deus.

Observaste tu a meu servo Jó?” – nos remete a interpretar de que Satanás, provavelmente, já tivera a intenção de investir contra Jó, todavia, ele havia percebido que ao redor de Jó havia uma poderosa “barreira” impedindo, neutralizando e anulando todas as suas investidas. Satanás fazendo uso da sua perspicácia concluiu que Deus amparava, protegia e abençoava a Jó em todas as esferas de sua vida, mas, contrariando a acusação de Satanás, Jó mesmo não tendo conhecimento do que o salmista haveria de escrever, vivia plenamente nesta condição – “Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará”.

Observaste tu a meu servo Jó?” – nos induz a elaborar conjecturas que margeiam a insanidade, porém não chegam a ser heréticas. Poderíamos, sem dúvida alguma, no ápice da mensagem dizer que (provavelmente) Satanás muitas vezes olhou para Jó na Terra, mas impedido de aproximar deve ter declarado assim – “quanto a esse aí, não teremos êxito nas tentações, ele é um protegido do Deus vivo”.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.