Jó lamenta por não ter morrido no dia do seu nascimento.

Jó 3: 11-15
 “Por que não morri eu desde a madre e, em saindo do ventre, não expirei? Por que me receberam os joelhos? E por que os peitos, para que mamasse? Porque já agora jazeria e repousaria; dormiria, e, então, haveria repouso para mim, com os reis e conselheiros da terra que para si edificavam casas nos lugares assolados, ou com os príncipes que tinham ouro, que enchiam as suas casas de prata”.

No primeiro lamento de Jó, ele desejou ardentemente que o dia em que foi anunciado o seu nascimento, se possível, fosse apagado da história da humanidade. Jó não desejava que fosse apenas esquecido, mas como no linguajar de hoje, ele queria que aquele dia fosse “deletado” definitivamente. Agora neste segundo lamento, Jó faz menção de uma segunda opção – ter nascido morto.

Como qualquer outro ser humano Jó, no auge do seu desespero, pois afinal de contas, ele havia perdido tudo e todos – bens, amigos e família -, apela para as soluções mais plausíveis e imediatas para a sua situação. No auge do seu sofrimento, sofrimento físico, psicoemocional e espiritual, Jó declara que a melhor coisa para qualquer pessoa que estiver vivendo em situação semelhante à dele seria não existir. Todavia, em seus lamentos não há nenhuma insinuação de suicídio. A “não existência” de que ele fala, apontava primeiro, para a remoção do dia em que ele nasceu da contagem do tempo e, em segundo, o que seria mais fácil de acontecer, nascer morto. Pois, em qualquer destas duas opções, o homem estaria vivendo bem melhor do que viver desamparado por Deus.

Em muitas das situações que passamos por elas nesta vida, nos vemos perguntando a Deus a razão, o motivo do sofrimento ou aflição e, questionar a Deus sobre determinadas coisas não é nenhuma afronta a Soberania do nosso Deus. O que não podemos fazer é querer exigir de Deus uma resposta.

Acredito firmemente que se Jó tivesse conhecimento do que tinha ocorrido nas regiões celestiais agiria da mesma forma. Ter o conhecimento da origem do problema não torna o problema mais ameno, não alivia a dor e nem suaviza o sofrimento. Qual é a pessoa que fica aliviada do mal estar ao receber o resultado do seu exame de endoscopia com o diagnóstico de úlcera? A fé do crente está fundamentada em promessas. Vivemos pela fé e não pelas explicações, sendo assim, “lucraríamos” mais se não gastássemos o nosso tempo querendo respostas para os “porquês”. Deus não tem nenhuma obrigação de nos esclarecer os Seus propósitos.

Por não haver a possibilidade de voltar atrás no tempo e cancelar os acontecimentos que levaram ao seu nascimento, Jó volta-se para a fase seguinte do seu lamento: Por que não morri eu desde a madre?. Muitos bebês nascem mortos; por que ele não teve a sorte de ser um deles? Os joelhos da parteira e os peitos da sua mãe deveriam ter falhado em preservar a criança recém-nascida. Se a morte tivesse sido o seu destino logo no início, então suas maiores esperanças teriam sido alcançadas havia muito tempo”.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Comentário Bíblico Expositivo do Velho Testamento – Warren W. Wiersbe
– Comentário Bíblico Beacon

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.