O Todo-Poderoso tem prazer em que você seja justo?

Jó 22: 3-5 (NAA)
 “Será que o Todo-Poderoso tem interesse em que você seja justo? Será que ele tem algum lucro, se você for perfeito em todos os seus caminhos? Ou será que é por causa do seu temor a Deus que ele o repreende ou entra em juízo contra você? Não é fato que é grande a sua maldade, e incalculável a sua iniquidade?”

É, definitivamente, impossível que nossas palavras produzam o efeito que esperamos, quando ao tentarmos consolar alguém não nos colocarmos no lugar da pessoa consolada. As teorias, na grande maioria das vezes são excelentes, mas quando vão para a prática se transformam numa catástrofe. Um discurso consolador proferido com base apenas em conhecimento teórico tende a produzir um efeito contrário, pois, as teorias se divergem quando se trata de experiência de vida. E, as divergências são produzidas, essencialmente, pela falta de conhecimento ou de um conhecimento limitado e, foi, exatamente, isso que aconteceu com Elifaz. O seu conhecimento limitado de Deus o fez “ver” Deus como um carrasco.

O conhecimento limitado que Elifaz tinha de Deus o fez ver Deus como um Ser passivo e distante. O fato de ele e Jó (e qualquer ser humano) não conhecerem os propósitos de Deus não significa que as ações de Deus sejam semelhantes às nossas, mesmo por que quem foi criado à imagem e semelhança do outro, fomos nós em relação ao nosso Deus. Para Elifaz Deus não se importava com o comportamento dos homens, a não ser quando se comportavam mal.

Elifaz perdeu a grande oportunidade de ficar calado. Vejo que se ele tivesse apenas chorado teria sido mais produtiva a sua visita. Ele agiu pior do que alguns irmãos que, hoje em dia que vão visitar alguém que esteja enfrentando uma grande dificuldade, e soltam aquela pérola – “isso é assim mesmo, o jeito é se conformar”. As acusações, graves acusações, que Elifaz fez a respeito de Jó não tinham nenhum respaldo na amizade entre ambos, pois, nem vizinhos eles eram. Elifaz estava duplamente equivocado – estava equivocado quanto ao caráter de Deus e equivocado quanto ao caráter de Jó.

É exatamente nessa tecla que “bato” constantemente. Quando o nosso conhecimento de Deus é limitado o nosso modo de viver e entender as coisas é, também, limitado. Quantas cargas nós carregamos inutilmente pela razão de não entendermos plenamente o que foi que Jesus realizou por nós na Cruz. Como o “filho mais velho” que ficou em casa, muitas das vezes deixamos de usufruir de tudo o que o nosso “Pai” tem e deixou a nossa disposição.

Muitos “elifazes” estão perambulando pelas igrejas, convictos de que o “insignificante” e insuficiente conhecimento que possuem é o suficiente para elaborarem suas teorias e conceitos a respeito do Evangelho de Jesus Cristo. Suas mensagens não produzem o efeito que deveria produzir na vida do pecador, pois, estão encharcadas de filosofias vãs e palavras vazias.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Comentário Bíblico Expositivo do Velho Testamento – Warren W. Wiersbe

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.