Como se usam as palavras?

Jó 18: 1-2
 “Então, respondeu Bildade, o suíta, e disse: Até quando usareis artifícios em vez de palavras? Considerai bem, e, então, falaremos”.

Embora a Bíblia não diga isso, porém, a impressão que temos com os argumentos (até o presente instante da história) dos amigos de Jó é de que eles tinham acordado entre si de amontoar mais aflição ao sofrimento dele. Nenhum argumento de Jó tinha sustentação diante deles, tudo quanto Jó falava em sua defesa era energicamente repreendido por eles. Jó no capítulo 16 se refere a eles como “confortadores atormentadores”. Elifaz e Bildade irritaram Jó de tal modo com suas acusações levianas que o patriarca nos capítulos 16 e 17 teve que falar umas “verdades” para seus companheiros.

Jó, na sua resposta, “jogou” no rosto deles que eles tinham sido zombeteiros e desdenhosos, além de serem cegos e privados de entendimento. Na verdade, segundo a declaração de Jó acerca do que eles tinham falado até agora, nenhum deles havia demonstrado ter sabedoria alguma, muito pelo contrário, estavam usando um discurso coercitivo esperando que ele (Jó) admitisse uma culpa que não tinha.

Devemos ter muito cuidado quando fazemos o papel de advogado de defesa de Jó. Embora ele seja de fato inocente em relação aos acontecimentos, isto é, ele não pecou como os amigos o forçavam admitir, todavia, quando começou a falar, proferiu palavras que jamais poderiam sair da boca de um homem reto, justo e temente a Deus. O comportamento de Jó, no tocante ao que estava falando, assemelhou-se ao de qualquer ímpio.

Aliás, o estudo deste trimestre é uma ótima oportunidade para que possamos aprender a lidar com situações semelhantes em nosso dia-a-dia. É muito comum nós nos compadecermos daqueles que sempre são mais fracos ou, segundo o nosso julgamento, são injustiçados e, na maioria das vezes, deixamos de repreender as pessoas que estão em tais situações quando estas proferem alguma palavra indevida. Não podemos ser coniventes com o comportamento de alguém que por estar numa situação delicada ou de sofrimento, fique falando asneira a respeito de Deus, da Sua Palavra ou das doutrinas Bíblicas.

Jó estava sofrendo muito? Sim, estava! Mas, independentemente da intensidade do seu sofrimento, isso jamais poderia ser usado como justificativa para ser insolente diante de Deus. É muito comum ouvirmos alguns crentes falar insolentemente com Deus. É um discurso que nitidamente deixa transparecer que Deus tem o dever ou a obrigação de impedir que qualquer mal nos alcance. Situação que se agrava ainda mais quando o Senhor se cala. Até blasfêmias eu já ouvi de um irmão por que o Senhor não respondia suas orações.

Deus não se deixa escarnecer.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Comentário Bíblico do Velho Testamento Beacon

Compartilhar

One thought on “Como se usam as palavras?

  • 11 de novembro de 2020 em 22:58
    Permalink

    Sempre muito bons seus comentários. Deus abençoe!

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.